17
Out
2018

Como elaborar política de troca de produto na loja

    Quem está inserido no comércio, seja varejista, seja de atacado, tem que lidar com a troca de produto. Mas o que a legislação diz a respeito? Quais são as obrigações da loja? E os direitos dos consumidores? A questão é simples e bem definida do ponto de vista legal. Para lojas físicas, não é necessário permitir a troca ou a devolução em razão de arrependimento, gosto ou motivo pessoal, de forma que a possibilidade pode ser autorizada, ou não, conforme decisão do lojista em prazo e condições por ele especificadas. Entretanto, em caso de defeitos, para compras feitas pela internet ou catálogos, o Código de Defesa do Consumidor (
Lei 8.078/1990) é claro. A troca ou devolução são obrigatórias em até sete dias contados a partir do recebimento do produto (por arrependimento ou qualquer outra razão). Nesses casos, a empresa é responsável pela devolução integral do valor pago e pelo custeio das taxas de transporte. Listamos abaixo quatro dicas que vão ajudar você a elaborar uma política de troca de produtos na sua loja. Confira quais são elas agora mesmo!   Exponha a sua política de troca e devolução Conforme explicamos acima, em casos de loja física, a troca de produto não é obrigatória, mas é de bom tom oferecer a possibilidade dentro de regras estabelecidas. Por isso, é importante, no ato da compra, que o vendedor informe ao cliente qual é a política de troca e de devolução da loja. Em geral, o prazo pode variar de 7 a 30 dias, mediante apresentação de cupom fiscal. Além de reforçar as condições para troca no ato do pagamento, outra dica é fixar próximo ao caixa um aviso explicando qual é o posicionamento da loja e as regras em situações desse tipo.     Gere um bom relacionamento Para gerar um bom relacionamento e garantir que a política de troca não seja um ponto de discordância entre clientes e loja, é preciso ser claro e objetivo. Definir bem as condições de troca e prazos, especificando as regras para produtos com ou sem defeito, se existe reembolso, troca imediata ou sistema de crédito e como ficam os custos para transporte do produto adquirido e que precisará ser devolvido é essencial. Mantendo as regras claras e um diálogo honesto, o lojista gera um bom relacionamento com o cliente e estabelece um vínculo de confiança, importante para que a relação comercial seja duradoura.   Promova um atendimento diferenciado Outra dica é promover um atendimento diferenciado. Isso é primordial para o sucesso da venda, já que, quanto mais personalizado for o atendimento, maiores são as chances de que a negociação seja satisfatória, ou seja, que as necessidades reais do cliente sejam supridas com a compra, eliminando a ocorrência de trocas.   Trabalhe o pós-venda Trabalhar o pós-venda também é relevante para cativar os clientes. Essa dica está diretamente ligada à anterior, sobre promover um atendimento diferenciado. O relacionamento entre consumidor e loja não termina no ato da compra, mas perdura durante a utilização das mercadorias adquiridas. Por isso, mantenha ações focadas no pós-venda, como criação de newsletter para alimentação de consumidores, programas de fidelização com vantagens para clientes mais ativos, uma simples ligação para checar se correu tudo bem com a entrega dos produtos etc. Ações simples fazem toda a diferença e auxiliam também na satisfação do consumidor com a loja e com os produtos, minimizando a ocorrência de trocas. Conforme mostramos ao longo do texto, elaborar a política de troca de produto não é complicado. Pelo contrário. Basta definir as regras com seriedade, garantir uma comunicação clara e direta sobre as normas, prestar um atendimento diferenciado e investir em ações de pós-venda. Dessa forma, a negociação tem tudo para transcorrer de maneira eficiente e o relacionamento entre loja e cliente tem tudo para perdurar. Gostou do nosso artigo sobre elaboração de política de trocas? Então que tal assinar nossa newsletter e receber periodicamente dicas sobre gestão e varejo?  
09
Out
2018

Aprenda como montar uma vitrine!

  Além de oferecer produtos diferenciados, estabelecer o comércio em um ponto movimentado, definir ações de marketing, obter bom controle de estoque e fluxo de caixa, capacitar funcionários e manter os preços competitivos, o lojista precisa chamar atenção dos consumidores. Atraí-los. Para conquistar tal objetivo, é necessário saber como montar uma vitrine interessante. Isso porque, a vitrine é o principal cartão de visitas do comerciante e acertar na montagem faz com que um número maior de potenciais compradores entrem no estabelecimento. Aliando a decisão de entrada com os outros itens citados acima, como qualidade, preço e bom atendimento, o resultado é apenas um: 
o sucesso.   Quer aprender como montar uma vitrine eficiente? Confira as dicas que listamos abaixo agora mesmo! Conheça o seu público Antes de se preocupar em como montar uma vitrine, é preciso conhecer seu público. Saber, de fato, quem você quer atrair e o que você tem a oferecer a essa pessoa é primordial para criar uma vitrine que dialogue diretamente com ela. Por isso, tenha em mente o foco na solução, ou seja, em oferecer ao seu cliente ideal o que ele precisa.   Fique atento à iluminação Também é primordial ficar atento à iluminação. A luz é capaz de provocar sensações nos consumidores, valorizando produtos, criando ambientes atraentes, instigando-os. A iluminação amarela, por exemplo, cria ares intimistas e de acolhimento, enquanto a iluminação branca é alegre e vibrante. Além de impactar na atmosfera da vitrine, a iluminação é capaz de valorizar produtos, por meio de spots direcionados ou giratórios. A técnica é eficaz na medida em que faz com que o consumidor dê mais atenção aos produtos mais interessantes para o lojista, como itens promocionais, itens sazonais ou itens em grande volume no estoque.   Evite exageros A vitrine é o cartão de visitas da loja e, por isso, deve conter informações na medida certa. Não é interessante incluir dezenas de produtos na vitrine. É preciso planejar a disposição dos itens de maneira harmônica, sem deixar muito espaço inutilizado ou criar um ambiente tumultuado. O objetivo é produzir uma vitrine que mostre o que o consumidor quer ver e o instigue a entrar no estabelecimento e não criar um catálogo de produtos.     Relacione os produtos entre si A vitrine que relaciona produtos entre si é muito mais eficiente. Isso porque desperta sensações de desejo no consumidor, mostrando como diferentes itens são complementares de uma maneira simples, didática, objetiva e visual.     Evite os erros comuns Os principais erros cometidos por lojistas que não sabem bem como montar uma vitrine são:
  • a desorganização;
  • a falta de planejamento estratégico na montagem;
  • o não acompanhamento das tendências;
  • a "propaganda enganosa".
  • Criar uma vitrine desorganizada passa impressão de falta de profissionalismo. Falhar no planejamento estratégico cria um aspecto de desordem. Não acompanhar as tendências mostra que o lojista não se preocupa e não analisa a concorrência, enquanto oferecer produtos que não estão disponíveis faz com que o consumidor sinta-se enganado. Conforme mostramos neste post, saber como montar uma vitrine interessante é primordial para o sucesso da loja. Conhecendo seu público, ficando atento à iluminação, evitando exageros, criando uma combinação harmoniosa e evitando os erros mais comuns, certamente, você vai montar uma vitrine capaz de levar muitos consumidores para dentro da loja! Gostou das nossas dicas sobre como montar uma vitrine? Então, que tal aprender  a criar promoções e aumentar as vendas? Veja como fazer a lucratividade da loja crescer de maneira saudável e eficiente!
    25
    Set
    2018

    Saiba como fechar uma venda no PDV

      Os clientes estão cada vez mais exigentes em seus relacionamentos com as empresas. Além de preço e qualidade, eles estão à procura de experiências que sejam construtivas para um relacionamento harmônico e eficiente. E para você saber como fechar uma venda com ele, é preciso estar preparado para qualquer tipo de situação. Ter uma boa abordagem em seu PDV (ponto de venda) — seja ela criativa, chamativa ou diferente — pode ser a chave do 
    sucesso do seu negócio diante da concorrência. Esse desafio não é nada simples! O objetivo do nosso post de hoje, é orientar você para que aprenda a como vender mais no seu PDV. Para isso, vamos dar algumas dicas que o ajudarão a alcançar esse objetivo, além de mostrar como o comportamento dos consumidores mudou e como você pode ultrapassar cada obstáculo que encontrará no mercado. Interessado em saber mais sobre o assunto? Então, fique com a gente até o final!   Conheça bem o seu cliente Antes de tomar qualquer iniciativa ou adotar uma estratégia de promoção, é preciso que você e todos de sua equipe conheçam bem o seu público-alvo. É preciso que saibam identificar as necessidades dos seus clientes, quais são os desafios que encontram diariamente, quando procuram por soluções por meio das lojas e empresas que fornecem serviços, seus costumes, se buscam esses produtos e soluções na internet, entre outros detalhes. Somente com todas essas informações você saberá quais as melhores estratégias que poderá adotar para atingir seu publico da forma mais positiva possível. Essa fase não é importante somente para adoção de estratégias, mas também para treinar sua equipe.   Posicione os seus produtos de forma estratégica no PDV Uma excelente estratégia a ser utilizada no seu ponto de venda é a forma na qual você posiciona e monta o layout de disposição de seus produtos. É muito importante ter organização e estética visual agradável aos olhos de quem vê através de seus corredores, fachadas e estantes. O consumidor deve ter fácil acesso aos produtos, que devem estar dispostos de forma a serem claramente visualizados pelas pessoas. A disposição e a organização do seu PDV também passam ao cliente a essência e a qualidade do seu negócio e da sua marca. Por isso, não se esqueça de também de colocar a imagem da sua marca em todos os seus produtos.   Use os 4 sentidos para cativar os seus clientes O marketing sensorial é uma estratégia que tem o objetivo de atrair e ganhar o cliente por meio dos 4 sentidos. E essa é uma estratégia que vem sendo comumente utilizada pelos empreendimentos. Ele utiliza o ambiente para conquistar os consumidores. Estratégias como aromas no local, por exemplo, podem demonstrar a sua identidade por meio do olfato. A música ambiente também é outra ação a ser tomada, ganhando o púbico mediante ritmos que combinam com o local. Não podemos nos esquecer da visão: uma decoração chamativa, agradável e organizada pode ser a chave para o seu sucesso!   Tenha uma equipe treinada para fornecer um atendimento personalizado De nada adianta traçar e aplicar todas as estratégias anteriores sem ter uma equipe treinada e qualificada. Por isso, é muito importante treinar seus funcionários, principalmente com as informações obtidas por meio da pesquisa do perfil do seu público-alvo. Os consumidores nos dias de hoje prezam muito a experiência que uma empresa fornece para eles. Então, ter profissionais qualificados, que fazem com que os clientes se sintam importantes e tendo um atendimento com exclusividade, certamente trará bons resultados para o seu negócio.   Invista em divulgação, promoção e desconto Divulgar e promover sua marca em plataformas online é essencial. Essa é uma afirmação correta, mas também não podemos nos esquecer das estratégias offline. O importante é passar para o seu público-alvo a sua marca e atingir o maior número possível de pessoas. E lembre-se sempre: promover promoções e descontos é uma excelente estratégia que pode auxiliar a fechar mais vendas. Essas duas táticas são de encher os olhos dos consumidores! Agora que você já sabe como fechar uma venda de forma mais eficiente com seus consumidores, aproveite para conhecer 5 dicas para melhorar a exposição dos produtos no seu PDV. Os clientes estão cada vez mais exigentes em seus relacionamentos com as empresas. Além de preço e qualidade, eles estão à procura de experiências que sejam construtivas para um relacionamento harmônico e eficiente. E para você saber como fechar uma venda com ele, é preciso estar preparado para qualquer tipo de situação. Ter uma boa abordagem em seu PDV (ponto de venda) — seja ela criativa, chamativa ou diferente — pode ser a chave do sucesso do seu negócio diante da concorrência. Esse desafio não é nada simples! O objetivo do nosso post de hoje, é orientar você para que aprenda a como vender mais no seu PDV. Para isso, vamos dar algumas dicas que o ajudarão a alcançar esse objetivo, além de mostrar como o comportamento dos consumidores mudou e como você pode ultrapassar cada obstáculo que encontrará no mercado. Interessado em saber mais sobre o assunto? Então, fique com a gente até o final!   Conheça bem o seu cliente Antes de tomar qualquer iniciativa ou adotar uma estratégia de promoção, é preciso que você e todos de sua equipe conheçam bem o seu público-alvo. É preciso que saibam identificar as necessidades dos seus clientes, quais são os desafios que encontram diariamente, quando procuram por soluções por meio das lojas e empresas que fornecem serviços, seus costumes, se buscam esses produtos e soluções na internet, entre outros detalhes. Somente com todas essas informações você saberá quais as melhores estratégias que poderá adotar para atingir seu publico da forma mais positiva possível. Essa fase não é importante somente para adoção de estratégias, mas também para treinar sua equipe.   Posicione os seus produtos de forma estratégica no PDV Uma excelente estratégia a ser utilizada no seu ponto de venda é a forma na qual você posiciona e monta o layout de disposição de seus produtos. É muito importante ter organização e estética visual agradável aos olhos de quem vê através de seus corredores, fachadas e estantes. O consumidor deve ter fácil acesso aos produtos, que devem estar dispostos de forma a serem claramente visualizados pelas pessoas. A disposição e a organização do seu PDV também passam ao cliente a essência e a qualidade do seu negócio e da sua marca. Por isso, não se esqueça de também de colocar a imagem da sua marca em todos os seus produtos.   Use os 4 sentidos para cativar os seus clientes O marketing sensorial é uma estratégia que tem o objetivo de atrair e ganhar o cliente por meio dos 4 sentidos. E essa é uma estratégia que vem sendo comumente utilizada pelos empreendimentos. Ele utiliza o ambiente para conquistar os consumidores. Estratégias como aromas no local, por exemplo, podem demonstrar a sua identidade por meio do olfato. A música ambiente também é outra ação a ser tomada, ganhando o púbico mediante ritmos que combinam com o local. Não podemos nos esquecer da visão: uma decoração chamativa, agradável e organizada pode ser a chave para o seu sucesso!   Tenha uma equipe treinada para fornecer um atendimento personalizado De nada adianta traçar e aplicar todas as estratégias anteriores sem ter uma equipe treinada e qualificada. Por isso, é muito importante treinar seus funcionários, principalmente com as informações obtidas por meio da pesquisa do perfil do seu público-alvo. Os consumidores nos dias de hoje prezam muito a experiência que uma empresa fornece para eles. Então, ter profissionais qualificados, que fazem com que os clientes se sintam importantes e tendo um atendimento com exclusividade, certamente trará bons resultados para o seu negócio.   Invista em divulgação, promoção e desconto Divulgar e promover sua marca em plataformas online é essencial. Essa é uma afirmação correta, mas também não podemos nos esquecer das estratégias offline. O importante é passar para o seu público-alvo a sua marca e atingir o maior número possível de pessoas. E lembre-se sempre: promover promoções e descontos é uma excelente estratégia que pode auxiliar a fechar mais vendas. Essas duas táticas são de encher os olhos dos consumidores! Agora que você já sabe como fechar uma venda de forma mais eficiente com seus consumidores, aproveite para conhecer 5 dicas para melhorar a exposição dos produtos no seu PDV.  
    20
    Set
    2018

    Como o controle de estoque e vendas afeta a sua loja

      Ao contrário do que muitos empreendedores pensam, o estoque não deve ser um setor isolado dos demais. Na realidade é fundamental que ele esteja integrado com todos os outros departamentos da empresa. Quem entender que um controle de estoque e vendas é essencial não apenas pela organização física do ambiente, mas acima de tudo, pela forma estratégica com que isso gera resultados, certamente colherá muitos benefícios no futuro. Pensando em lhe auxiliar, trouxemos dicas importantes sobre controle de estoque e vendas para fomentar seu 
    negócio! Continue a leitura!   Como a falta de controle do estoque pode ser prejudicial? Você já pensou como seria constrangedor anunciar um produto e não ter para entregar ao cliente? Certamente, isso poderia causa uma situação muito embaraçosa além de uma perda de oportunidade. Essa é uma consequência direta da falta de controle do estoque. Consequentemente, essa situação pode manchar a reputação da marca. Isso porque um cliente insatisfeito não indicará seus produtos para outros consumidores e você perderá uma ótima forma de fazer propaganda da sua loja. Dessa forma, isso reduzirá suas vendas e prejudicará consideravelmente sua lucratividade. Contudo, essa não é a única consequência causada pela falta de controle. Muitas vezes, o empreendedor realiza novos pedidos de compras sem saber ao certo a quantidade que possui de mercadoria na empresa e se existe a real necessidade de novos pedidos. Comprar sem saber qual realmente é a necessidade da empresa pode ser um grave erro pois a empresa pode estar comprando produtos que já estão estocados. Dessa forma, seu capital de giro pode estar sendo comprometido de forma equivocada. Isso porque além de aumentar o tempo que os produtos permanecem estocados e com isso gerar custo de manutenção de estoque, produto parado significa dinheiro estagnado. Um terceiro ponto de prejuízo sobre a questão é a validade dos produtos ou a oportunidade de vendas de acordo com a sazonalidade. Produtos que apenas vendem em determinadas temporadas, por exemplo, podem perder a validade, pois dificilmente serão comercializados em outros momentos. Em suma, então, esse excesso de mercadoria pode obrigar o empresário a fazer promoções repentinas sem um estudo prévio dos custos, diminuindo consideravelmente sua margem de lucro e prejudicando a saúde financeira da marca.   Como organizar o controle de estoque? O primeiro passo para um controle de estoque e vendas é trabalhar com o mínimo e saber exatamente o momento no qual você precisa realizar novos pedidos, considerando obviamente sua demanda e os prazos de entregas. Desse modo você não ficará sem determinando item e não acumulará prejuízos. Em contraponto, entender qual é o seu ponto de corte para cada produto é determinante. Com a prática, você evita o acúmulo de produtos parados. Porém, isso só se torna viável a partir da organização física do ambiente. Para isso:
  • comece pelos itens de menor tamanho;
  • ordene por categorias e tamanhos em prateleiras de fácil acesso;
  • arrume os produtos que ocupam mais espaço.
  • No entanto, todas essas tarefas serão em vão se você não realizar o inventário dos itens. Apenas depois desse processo será possível saber exatamente quantas peças têm e como pode planejar-se estrategicamente para obter uma boa rotatividade do estoque. Com essas informações em mãos você terá embasamento para realizar negociações com fornecedores, não sendo refém de prazos. Com isso, fica mais fácil conseguir prazos mais extensos de pagamentos ou descontos em compras à vista. Além de obviamente garantir que seu cliente encontre em sua empresa o produto que procura.   Como a tecnologia pode auxiliar nesse controle? Praticamente todas as empresas necessitam dos recursos que a informática disponibiliza. Saber utilizar essas tecnologias aumenta os resultados tanto em relação à produtividade como com o gerenciamento das operações. Hoje, os softwares conseguem reduzir o número de erros, uma vez há integração das informações. Por exemplo: quando uma mercadoria é vendida, automaticamente é baixada do estoque, sem que haja a necessidade de recontar os itens novamente. Além disso, a informatização aumenta a seguridade das informações, visto que esses dados são armazenados em cópias de segurança ou na nuvem. Agora que você sabe o impacto que o controle de estoque e vendas pode causar na sua empresa, baixe o guia completo para administrar uma loja de construção!  
    18
    Set
    2018

    5 dicas para acertar na organização da loja de material de construção

      Quem atua no segmento de materiais de construção sabe que manter a organização da loja é um fator primordial para atrair clientes e aumentar as vendas. Essa medida também é importante para oferecer um atendimento de alto nível. É muito bom quando um vendedor encontra rapidamente uma mercadoria desejada por um consumidor. Isso porque a agilidade na resolução das demandas ajuda a construir uma imagem positiva para a sua empresa. Afinal, um freguês satisfeito pode indicá-la para amigos e parentes. Neste post, destacaremos 5 fatores que vão tornar o seu 
    negócio mais organizado e competitivo. Confira!   1. Tenha cuidado com a disposição dos produtos Procure separar os itens por setores (ferramentas, tintas etc.) para os consumidores localizarem os produtos com mais facilidade. Lembrando que os materiais expostos devem estar em uma quantidade ideal para permanecerem bem acomodados no estabelecimento. Outra iniciativa é utilizar etiquetas para facilitar a identificação. Quanto mais bem-arrumada for a loja, mais comodidade você oferecerá para os seus clientes e empregados.   2. Fique atento ao estoque para melhorar a organização da loja É bem desagradável chegar a um estabelecimento comercial e ver uma prateleira vazia, não é mesmo? Para evitar essa situação, faça um bom gerenciamento do estoque. Com um acompanhamento adequado da entrada e saída de mercadorias, é possível disponibilizar vários itens em um número que contemple a demanda com eficiência. Essa postura não só propicia a fidelização como também evita gastos desnecessários com fornecedores.   3. Invista na iluminação Por mais que o seu negócio tenha um preço competitivo e uma grande oferta de mercadorias, a iluminação é um aspecto imprescindível para cativar os clientes. Um dos motivos é que uma loja bem iluminada permite uma visualização correta de todos os utensílios expostos e dos valores cobrados. Assim, o empresário mostra respeito e transparência com o consumidor. No caso de uma vitrine, priorize a iluminação branca no lugar da amarela, porque a primeira dá um maior destaque aos produtos e facilita a identificação pelos consumidores. Qualquer alternativa para interagir com o público-alvo sempre é bem-vinda.  Se for viável, procure usar a luz natural ao máximo, porque ajuda a reduzir a conta de energia elétrica. Ao diminuir custos, uma empresa tem mais possibilidades de oferecer preços interessantes e dar descontos, o que estimula as vendas   4. Valorize a entrada da loja O famoso ditado “a primeira impressão é a que fica” continua tendo um forte apelo junto aos consumidores. Por isso, tenha muita atenção com as placas ou letreiros utilizados para destacar o seu negócio. Procure diversificar as mercadorias expostas na entrada, sem esquecer da necessidade de facilitar o deslocamento dos clientes dentro da sua loja. Não adianta nada fazer uma promoção atraente, caso seja complicado se movimentar no estabelecimento.  Independentemente do segmento de atuação, um empresário deve ter como foco ter uma fachada que estimule o público-alvo a conhecer a loja. Com a ajuda de um arquiteto, encontrar a melhor alternativa para atingir esse objetivo fica bem mais fácil.    5. Treine os seus colaboradores Uma boa iluminação, materiais devidamente distribuídos e um estoque bem gerenciado, com certeza, são fatores que tornam uma loja de materiais de construção mais competitiva. Por outro lado, tudo isso será inútil, caso a equipe de vendedores não seja bem qualificada. Contar com funcionários que sabem cativar os clientes, localizar as mercadorias e explicar como usá-las é um diferencial importante para qualquer negócio. Para vencer a concorrência e alcançar uma posição de prestígio no mercado, um empreendedor precisa investir na organização da loja. Essa iniciativa tem uma grande influência na qualidade do atendimento, além de propiciar a expansão do faturamento.  Se você quer superar as expectativas com a sua loja de material de construção, entre em contato com a Goma agora mesmo. Estamos à disposição para ajudá-lo a crescer de forma sustentável!  
    05
    Set
    2018

    4 passos indispensáveis para organizar o seu estoque

      É muito recorrente encontrar empresas que fecham o mês no vermelho, mas não conseguem identificar o problema nas contas. Saiba que o erro pode estar na forma de organizar o estoque. Alguns dos benefícios de uma organização eficiente são: 
    redução de custos e de perdas, conservação adequada dos produtos e níveis de estocagem compatíveis com o movimento. Quer descobrir como organizar o estoque de forma direcionada para o sucesso e evitar os principais erros que prejudicam esse processo? Então, confira as práticas fundamentais para aplicar na sua empresa! Por que se preocupar com a organização do estoque? Os principais objetivos da gestão de estoque são os de equilibrar compras, armazenagem e entregas, o que está envolvido o ciclo da mercadoria. Ela não se limita simplesmente ao controle de entradas e saídas das mercadorias, ela faz parte da capital de giro da empresa, que é o tanto de dinheiro disponível que ela tem para se manter no mercado por um período. Por isso, se preocupar com a gestão e organização do estoque é uma ação estratégica para os gestores, pois gera impacto em diversas atividades da empresa. Uma gestão de estoque adequada traz benefícios como:
  • otimização de recursos: o controle do estoque permite identificar a quantidade ideal de materiais e mercadorias que devem ser armazenados, sem excedentes ou faltas, o que ajuda na saúde financeira do estabelecimento;
  • impacto em outras atividades: não ter a matéria-prima para confecção de um produto ou não ter a mercadoria para o cliente impactam negativamente nas vendas da empresa. Um estoque organizado impede que esse tipo de situação aconteça, evitando também comprometimento dos lucros e da reputação da empresa;
  • redução de prejuízos e desperdícios: o processo de organização e controle do estoque também ajuda a identificar possíveis desperdícios de materiais, seja por excesso de compra ou por armazenamento incorreto.
  • Como organizar o estoque? Agora que você entendeu a importância de organizar seu estoque, trazemos alguns passos indispensáveis nesse processo. 1. Acompanhe os indicadores Os indicadores de desempenho são ferramentas que auxiliam os gestores nas tomadas de decisões. Se você ainda não sabe como utilizá-los corretamente, corra atrás de um treinamento, pois esses números são essenciais para o sucesso da organização. Existem várias ferramentas atualmente que facilitam o trabalho do gerente e aumentam a confiabilidade dos dados. Esses programas não podem ser dispensados em empresas que buscam o crescimento e a redução de custos. Giro de materiais, cronograma para inventários, vencimento de produtos, desperdícios, extravios e avarias e relatórios de vendas do período são exemplos dos dados mais utilizados nesse setor da organização e que norteiam o trabalho da equipe. 2. Organize seu estoque Imagine, por exemplo, que o seu ramo é material de construção. Se as mercadorias não estiverem em seus devidos locais, é possível que você não consiga entregar a quantidade solicitada pelo cliente por conta da desordem, mesmo que os itens constem no sistema. Além de não conseguir encontrar o que precisa nos momentos mais importantes, a desorganização contribui para que o pedido de compra saia abaixo ou acima do ideal, acarretando, assim, um prejuízo financeiro para o negócio. O correto é desenvolver um padrão de organização dos produtos e treinar a equipe para manter o que foi definido. Quanto ao layout, a sugestão é dispor os itens de acordo com o tamanho e saída, sempre estabelecendo um código único para cada mercadoria. Aqui na Goma frisamos muito a questão de controle de estoque para os nossos clientes e trazemos soluções tendo como base a realidade deles. Um exemplo pode ser visto pela forma de venda de pregos e de parafusos a granel, confira abaixo um exemplo e suas destavantagens: Pensando nessa realidade e também em trazer aos nossos clientes uma nova solução, desenvolvemos a linha Goma Bric, uma linha completa que dispõem produtos fracionados em pacotes, com código de barras e organizados em um expositor, facilitando assim o controle de estoque e a venda. Vou mostrar um exemplo: Saiba mais no texto Veja o porque nossos clientes optam por vender Goma Bric 3. Realize inventários periódicos Se você nunca ouviu falar em inventário, certamente a gestão do seu estoque não está correta. Caso já tenha ouvido a respeito e não aplica em sua empresa, é hora de pôr a mão na massa e começar a executar periodicamente. O inventário é a contagem de todos os itens do estoque. Existem empreendimentos que o realizam em intervalos menores, sempre focando nas mercadorias que possuem maior rotatividade e nas de maior valor. Esse intervalo vai de acordo com a decisão do organizador. É a partir das informações obtidas nessa ação, que será possível identificar as falhas de pedido e tomar ações antes do fechamento do mês, evitando, assim, que as contas fechem no negativo. 4. Integre o estoque com outras áreas Uma vez que o estoque influencia a operação, os resultados da empresa como um todo e as demais atividades também impactam no desempenho do estoque, a integração com as outras áreas se torna uma excelente forma de conseguir a eficiência. Um exemplo disso é a identificação das demandas de vendas e as informações que são repassadas sobre as saídas de itens. Esses dados auxiliam o setor de compras a serem mais assertivos e contribui para manter a estocagem dentro do previsto para o período. Esqueça essa ideia de que cada um deve focar apenas em seu setor. É necessário que todos os funcionários estejam em sincronia para gerar bons desempenhos, fazendo com que a integração comece imediatamente. Quais os principais erros que prejudicam a organização do estoque? Para finalizar, listamos os principais erros cometidos pelas empresas que prejudicam a organização do estoque. Comprar a quantidade errada Um dos pontos principais para ter um estoque adequado é identificar a quantidade exata de material que precisa ser comprada, nem a mais nem a menos. Comprar mercadorias excedentes traz um custo maior para empresa, possibilidade de futuro desperdício por falta de uso e validade, risco de serem danificadas no armazenamento, abarrotamento do estoque, entre outros problemas. Por outro lado, ter estoque abaixo do necessário afeta diretamente o quadro de vendas. Para evitar que isso aconteça, é preciso fazer um acompanhamento rigoroso para identificar os itens mais procurados pelos clientes e estar atento a sazonalidades (itens que vendem mais em uma determinada época do ano). Não usar um software de gestão de estoque Muitas empresas ainda cometem o erro de realizar a gestão de estoque por métodos antigos, com caneta e papel. Esse tipo de abordagem pode trazer muita desorganização e complicação para o processo, pois ele fica mais sujeito a erros e perda de controle. O ideal, hoje em dia, é adquirir um software de gestão de estoque. Essa ferramenta tecnológica auxilia nos fluxos de caixa, permite o levantamento de dados em tempo real e otimiza todo o processo de gerenciamento. Não descrever os itens do estoque Pode parecer simples, mas descrever e identificar minuciosamente os itens do estoque é um dos pontos principais para a sua organização. Muitos gestores ainda não dão a devida atenção a esse ponto, o que pode comprometer o processo e trazer dificuldades. A identificação correta dos itens ajuda na aquisição correta dos materiais e mercadorias, no cadastramento exato e evita duplicidade de compra. É importante lembrar que um estoque cheio não é o mesmo que estoque de qualidade. Produto parado é sinônimo de dinheiro investido que não representou retorno à empresa. Por isso, invista em ferramentas e busque conhecimentos que vão ajudar você a organizar o estoque! Gostou do texto? Quer ler mais sobre o assunto? Então, continue no site e leia nosso texto sobre organização de venda de parafusos!    
    21
    Ago
    2018

    Utensílios de casa na loja de construção: o que não pode faltar

      Nem só de material pesado vive uma loja de construção: é igualmente importante oferecer uma boa seleção de utensílios de casa, já que eles são extremamente úteis tanto no período de obras quanto a longo prazo. Essa 
    oferta mais ampla torna a sua loja útil, especialmente para quem precisa fazer aquelas compras mais leves ao final de uma reforma. Se o cliente puder achar tudo que precisa para a nova casa em um só lugar, todos saem ganhando! Veja, no post de hoje, quais produtos costumam ser mais procurados e que você não deve deixar faltar na sua loja:   Ferramentas em geral Um bom kit de ferramentas é muito importante para qualquer casa — afinal, nunca se sabe quando você vai precisar fazer aqueles pequenos ajustes. Martelos, chaves de todos os tipos e uma série de outros itens podem ser necessários a qualquer momento, mesmo que a casa não esteja em obras. Uma loja de construção pode oferecer essas ferramentas de duas maneiras: avulsas, com uma variedade bem grande, ou em kits já prontos, em que o cliente adquire tudo que é essencial para ter em casa. O ideal é disponibilizar as duas opções, sem limitar as possibilidades de vendas e, assim, conseguir atingir a diferentes públicos e necessidades.   Acessórios para banheiro O banheiro é um local que sempre precisa de utensílios de casa funcionais e úteis. Seja na fase final de uma reforma ou até mesmo em momentos mais urgentes, a procura desses acessórios é significativa e vale muito a pena oferecê-los na sua loja. Entre os principais estão as papeleiras (suportes para papel higiênico), cabides, porta-toalhas e suportes para saboneteiras, entre muitos outros. O interessante é oferecer de diferentes materiais e qualidades. Essa preocupação faz toda diferença quando o cliente chega na loja e percebe que ele pode escolher o que ele prefere em vez de levar o que tem.   Itens para faxina Seja no fim da obra ou no dia a dia, a faxina é uma necessidade que toda casa tem e, para que ela seja completa, alguns itens são imprescindíveis. Vassourasbaldesrodoslixeiras e muitos outros itens garantem uma casa limpa, arrumada e em ordem. Geralmente, as lojas de construção vendem os itens mais voltados para as limpezas mais pesadas (aquelas de fim de reforma, no caso), mas é importante oferecer uma variedade mais ampla. Se, por exemplo, sua loja vende itens mais versáteis, que servem para a rotina pós-reforma e construção, sua possibilidade de atender um público mais vasto é maior. Uma loja de construção não precisa se limitar apenas a materiais mais pesados, como cimento, tijolos e ferramentas de grande porte. Os pequenos itens e os acessórios fundamentais ao dia a dia são igualmente importantes, aparecendo na fase final de um projeto. O cotidiano também traz necessidades específicas, o que permite que a loja que oferece esses produtos abra seu leque de atuação, atingindo não só quem está em obras. Desse modo, as possibilidades de venda tendem a aumentar, mantendo uma boa margem de lucro. Neste post, você viu as principais categorias e os utensílios de casa que são fundamentais para oferecer em uma loja de construção. Entretanto, você pode fazer com que seu negócio seja ainda mais interessante. Entre em contato conosco e conheça mais dos produtos que a Goma oferece em diferentes categorias!  
    09
    Ago
    2018

    10 dicas essenciais para o sucesso do seu negócio

      Olá, tudo bem?   Sempre pensando em nossos clientes e no sucesso dos seus negócios, elaboramos um material rico com base em textos do blog da Goma e do blog do Sebrae compartilhando 10 dicas essenciais para o sucesso do seu negócio. Confira abaixo o material que preparamos e coloque ele em prática na sua loja de material de construção:   1. Posicionamento de Mercado Defina bem qual é o público-alvo do seu negócio, desenvolva pesquisas de mercado e implemente estratégias de preço e
    promoções exclusivas para os seus clientes, de acordo com o perfil deles, sempre tentando cativá-los para a sua loja.   2. Gestão de Produtos Elabore um mix de produtos ideal para suprir as necessidades de seus clientes, mantenha os produtos sempre dispostos por categorias e de maior saída, utilize a linguagem típica dos produtos vendidos para atrair os consumidores, analise as necessidades dos mesmos e faça um controle rígido do estoque de mercadorias.   3. Controles Financeiros Mantenha um registro no computador ou em uma caderneta do fluxo financeiro da loja, organize/planeje os investimentos futuros necessários para aprimorar os resultados do negócio e crie estratégias para melhorar a segurança da loja.   4. Comodidade Ofereça sempre aos clientes diferenciais exclusivos; como o acesso à loja sem complicações, acessibilidade aos cadeirantes, estacionamento privativo e boa localização, além de facilidades de pagamento - cheque, cartão de crédito, carnê -, compras online e possibilidade de entrega dos materiais em locais escolhidos pelos clientes por conta da loja.   5. Parcerias Saiba sempre como escolher os fornecedores certos para o seu negócio e mantenha um bom relacionamento com eles, as empresas de produtos e serviços complementares que envolvem o círculo de relações do seu negócio, desenvolva parcerias com demonstrações de produtos de determinada marca e elabore campanhas de divulgação em conjunto.   6. Marketing de Relacionamento Conheça o perfil dos seus clientes, quais são as necessidades e as expectativas de compra deles, identifique uma persona com um perfil característico para o seu negócio, aproximando-se dela, e foque em uma estratégia de relacionamento que leve em conta os objetivos do negócio. Além disso busque descobrir o poder do marketing para o seu negócio.   7. Gestão de Processos Invista na melhoria dos processos de compra e venda da loja com cursos, programas específicos e mantenha sempre ativo um controle dos indicadores do negócio, para conseguir atingir metas de redução de custos e de aumento de vendas, por exemplo.   8. Gestão de Estoque Mantenha um registro dos fornecedores e dos produtos disponíveis em estoque, controlando as baixas e a necessidade de novos materiais, por meio de um sistema informatizado.   9. Layout da loja Disponha os produtos por categorias. Os de maior fluxo de vendas sempre que possível devem ficar em pontos de maior circulação, para que o clientes possam visualizá-los com maior facilidade, levando-os assim a compra. A ideia é deixar a circulação pela loja o mais fluida possível e também ter uma estratégia de organização do PDV (ponto de venda) que fidelize os clientes.   10. Atendimento É de extrema importância promover continuamente os funcionários  com capacitações sobre os produtos e serviços oferecidos na loja e ensine a eles também novas estratégias de venda e de fidelização dos clientes. Com isso, é possível gerar vendas adicionais no processo de compra e também criar uma boa relação com os clientes, fazendo com que os mesmos retornem à loja quando precisarem de um material.   Gostou das dicas? Espero que elas tenham inspirado você! Coloco a disposição dois eBooks desenvolvido por nossa equipe; neles você encontrará ainda mais dicas para alavancar o seu negócio.  
  • Guia Completo para administrar uma loja de construção
  •  
  • O Guia definitivo para aumentar suas vendas
  •   Obrigada pela atenção  Até a próxima!     Referência: Blog Sebrae: Dez fatores de sucesso no varejo de materiais de construção  
    10
    Jul
    2018

    5 dicas para melhorar a exposição de produtos no ponto de venda

        Empresas do setor varejista, em geral, esforçam-se todos os dias para aumentar as vendas e obter resultados que não somente garantam a sua sobrevivência no mercado, como também gerem crescimento para o negócio. Pensar como será feita a exposição de produtos no PDV (Ponto De Venda), criar anúncios e promoções visuais, por exemplo, são algumas de suas estratégias. Dentre elas, não poderíamos deixar de dar destaque à importância da organização do 
    ponto de venda, afinal de contas, ele é o local de acesso do cliente ao produto e pode estimular ainda mais as compras. Por isso, neste post mostraremos algumas dicas úteis para melhorar a exposição de produtos no ponto de venda e otimizar os seus resultados! Confira. 1. Invista em uma ótima identidade visual Na hora de melhorar a exposição de produtos em sua loja, não poupe recursos. Placas, artigos de decoração, banners, cartazes e móbiles — use todo tipo de ferramenta necessária para criar uma boa identidade visual. Mas cuidado com o exagero, mantenha o bom senso estético. A ideia é criar um ambiente convidativo aos olhos do seu cliente, levando-o a não resistir e entrar no estabelecimento. Lembre que os elementos da identidade visual também podem ser úteis para guiar o consumidor dentro da loja, servindo como sinalizadores de áreas e produtos específicos.     2. Exponha os produtos de forma organizada Além de utilizar a criatividade em uma identidade visual atraente ao público, é importante saber expor as mercadorias de forma eficiente, categorizando os itens de maneira organizada:
  • posicione os produtos priorizando a sua credibilidade no mercado e o fluxo de vendas;
  • ocupe as prateleiras de cima a baixo com variações de modelos da mesma marca, criando uma visualização vertical;
  • no caso de loja de material de construção, posicione os produtos estrategicamente para que fiquem próximos de outras peças e ferramentas relacionadas, estimulando o consumo de mais itens.
  • Também é possível investir em linhas de produtos encartelados, pois sua embalagem favorece a organização em prateleiras. O visual fica harmônico e de fácil manipulação até mesmo para os clientes.     3. Priorize a iluminação Um ponto de venda mal iluminado ou com partes muito escuras tende a esconder os produtos e causar má impressão nos clientes. Consequentemente, reduz o fluxo de vendas e prejudica os resultados do negócio. Como mencionamos, o trunfo de uma empresa do setor varejista está em sua capacidade de mostrar as suas mercadorias ao público, tornando-as mais atrativas e conquistando novos consumidores. Uma ótima estratégia para melhorar a exposição de produtos em seu estabelecimento comercial é priorizando a iluminação:
  • todo o ambiente físico da loja deve ser claro;
  • foque as luzes nos produtos que deseja destacar ou nos itens que não atraem muitos clientes com facilidade, a fim de melhorar as vendas;
  • cuidado para não distorcer as cores do produto e gerar decepções nos clientes após a aquisição.
  •     4. Crie um ambiente convidativo A identidade visual de um ponto de venda é um recurso muito importante para atrair novos compradores para dentro da loja, entretanto, a atmosfera do ambiente em geral deve ser convidativa. Estamos nos referindo a todos os aspectos que são capazes não somente de atrair o cliente para entrar na loja, como também mantê-lo no interior pela maior quantidade de tempo possível:
  • utilize tons de cores suaves;
  • evite contrastes e sobrecarga de informações visuais, como excesso de placas e fachadas no interior do estabelecimento;
  • faça com que a sua loja mantenha um aroma agradável para causar uma sensação de bem-estar imediata;
  • controle a temperatura com ar-condicionado no verão e aquecedor no inverno;
  • mantenha o ambiente sempre limpo, iluminado e organizado;
  • cuidado com a escolha e o volume das músicas para não causar incômodo nos consumidores.
  •     5. Destaque os itens em promoção Quem é que não adora uma promoção? Não é coincidência que o setor varejista utiliza a estratégia das promoções sempre que precisa alavancar os resultados de vendas ou evitar prejuízos, liquidando produtos parados no estoque. Portanto, não é preciso fazer muito, além de trabalhar na exposição de produtos quando existem promoções em seu ponto de venda. Se possível, posicione os itens em promoção nas gôndolas da frente e nas vitrines, utilizando todos os artifícios que foram citados nos tópicos anteriores. Trabalhe na iluminação do local e invista em uma identidade visual criativa. Dessa forma, você conseguirá expor ao público o melhor do seu produto! Profissionais de marketing dizem que tais estratégias têm o foco na experiência do cliente, ou seja, quanto mais satisfatória for sua visita na loja, maior será sua fidelidade e até mesmo volume de vendas. Com base nesse princípio, algumas lojas investem em pontos de conveniência, oferecem café aos seus consumidores e até usam música ambiente que estimule o consumo. E como tais estratégias beneficiam o negócio? Benefícios de melhorar a exposição de produtos no PDV Usando essas estratégias simples de exposição de produtos no ponto de venda, a loja consegue colher alguns benefícios para suas vendas. Os principais listamos a seguir. Aumento das vendas Colocar produtos que se complementam próximos uns dos outros ou posicionar itens de compra rápida e contínua, como kit de parafusos próximos aos caixas de pagamento de lojas de construção, estimula a compra por impulso e também ajuda o cliente ao lembrá-lo de itens de utilização recorrente. Fidelização de clientes Com uma organização funcional que favoreça o autosserviço, a loja conquista os clientes, que podem tomar suas decisões de compra sem o acompanhamento obrigatório de um vendedor. A compra se torna mais ágil, eles podem fazer suas próprias análises sobre o item e solicitar o apoio do vendedor apenas quando for necessário. Nesse ponto é preciso ressaltar a importância de ter uma variedade de itens para que o cliente possa encontrar tudo que precisa em um só local. Melhor gestão e controle de estoque Uma loja bem organizada não favorece apenas o processo de venda, mas também a gestão de estoque e reposição. Isso porque é mais fácil identificar o volume de itens nas gôndolas e prateleiras, e associar rapidamente seu reabastecimento com o estoque. Imagem do negócio Um ambiente bem iluminado, limpo e organizado também ajuda na construção da imagem de uma loja. Comparando um estabelecimento com o outro, clientes darão mais créditos àqueles que zelam pelo conforto e facilidade de sua compra. Nesse momento, também vale mencionar os vendedores devidamente identificados com uniformes, promoções bem claras e próximas dos produtos, além da colocação dos preços certos para cada item ofertado. Os clientes têm gostado cada vez mais de conduzirem individualmente suas compras para só depois buscarem apoio de vendedores, a imagem e organização favorecem essa experiência. Acondicionamento correto Uma correta exposição de produtos no PDV também garante que a validade dos produtos e suas condições sejam asseguradas. Itens como parafusos e pregos não podem ser dispostos em espaços úmidos e itens de plásticos, se expostos ao calor, podem rachar e ter sua durabilidade reduzida. Para criar uma adequada exposição de produtos no PDV é preciso considerar as necessidades dos clientes e o que estimula as vendas no estabelecimento. Além disso, trocar regularmente os itens nas gôndolas e prateleiras pode ajudar a empresa a encontrar seu layout perfeito. Gostou das dicas sobre como melhorar a exposição de produtos no ponto de venda? Então siga-nos no Facebook e no Youtube para acompanhar todos os nossos conteúdos!  
    02
    Jul
    2018

    Alerta: 6 dicas para melhorar a segurança de loja

        Alguns estabelecimentos podem atrair mais interesse de ladrões por fazerem 
    vendas de maior valor ou que recebam um volume grande de pagamentos em dinheiro. É o caso de algumas lojas de construção, por exemplo. Por isso, investir na segurança de loja é fundamental. Nesse quesito, entram diversos mecanismos de defesas, desde os sistemas eletrônicos para monitorar o estabelecimento com imagens de vídeo até a simples alteração do layout para que itens de maior valor estejam em locais de difícil acesso. Ou seja, é possível aumentar a segurança da sua loja com soluções simples e investimentos certos. Neste post, listamos 6 dicas com ótimos resultados. Veja!   1. Melhore o layout e a infraestrutura da loja A primeira dica não envolve grandes investimentos, mas é determinante para impedir pequenos furtos, pois, ao organizar prateleiras ou gôndolas de produtos de maneira espaçada e simples, é possível ter uma visão mais clara dos acontecimentos durante a rotina diária. Além de manter a área visível, usar embalagens que dificultam o manuseio e colocar itens de maior valor em compartimentos fechados ou no final da loja — onde sempre há um vendedor — também são ações importantes.   2. Invista em sistemas eletrônicos de segurança de loja Sistemas eletrônicos podem ser importantes para a segurança da loja aberta ou fechada. Depósitos de construção, por exemplo, muitas vezes, têm áreas externas para armazenamento de brita, areia e outros. Uma cerca elétrica é fundamental para impedir a entrada de ladrões fora do horário de funcionamento, assim como manter as luzes acesas para impedir que eles ajam sem que sejam percebidos. Quando a loja está aberta, sistemas antifurto e alarmes na porta podem garantir a segurança do estabelecimento e de seus itens.   3. Não guarde grandes volumes de dinheiro nas lojas Faça a contabilidade regularmente e deposite os valores recebidos em dinheiro o quanto antes. Estoques grandes de produtos de maior valor também podem ser distribuídos entre as filiais. Além disso, evite manusear grandes volumes de dinheiro ou pagar os funcionários no estabelecimento. Tais ações minimizam o impacto de um eventual roubo e também deixam a loja menos visada para os ladrões. 4. Identifique comportamentos incomuns É preciso manter-se alerta para comportamentos incomuns no perímetro da loja e dentro do local. Visitantes que estejam mais interessados na estrutura do que nos produtos devem ligar o alerta do proprietário, assim como carros estacionados na redondeza com pessoas monitorando a rotina do estabelecimento.   5. Crie uma rede de apoio com lojistas da região Além de investir na segurança interna, criar uma rede de apoio com outros lojistas da região com iniciativas e orientações da polícia local também pode ser uma solução eficiente. Em algumas cidades, a polícia orienta a criação de uma rede entre os estabelecimentos com a utilização de aplicativos de mensagens, frases de alerta para pedir ajuda e até a combinação de visitas regulares de um proprietário à loja do outro. Ao menor sinal de perigo, um lojista vizinho pode acionar a polícia para a proteção e restabelecimento da ordem no perímetro. Essa rede também pode ser fundamental para compartilhar despesas com outros elementos de segurança, como rondas particulares, por exemplo. 6. Proteja e prepare sua equipe A equipe da loja também deve se sentir segura. Vivenciar um roubo ou estar constantemente com medo pode prejudicar, até mesmo, o desempenho dos vendedores, que terão suas atenções desviadas da função. Portanto, além de investir na segurança da infraestrutura, também é preciso demonstrar para a equipe que ela está protegida, assim como orientar como devem ser suas reações ao identificar atos suspeitos e em situações de perigo. A segurança de loja é fundamental não somente para o patrimônio e estoque de produtos, mas também para garantir a integridade de funcionários e clientes. Ter um estabelecimento que gere confiança e tranquilidade é fundamental, mas não é o único aspecto que merece atenção do proprietário. Quer montar um plano de administração que manterá sua loja sempre competitiva e gerando cada vez mais vendas? Baixe gratuitamente nosso guia completo para administrar uma loja de construção.  
    25
    Jun
    2018

    Sua loja de construção sempre relevante! Veja quais são as principais ferramentas e produtos que você deve oferecer no seu estabelecimento.

        Ter um negócio atraente envolve oferecer uma gama de produtos, que devem estar de acordo com o segmento. No que se trata de materiais e ferramentas para construção, muitos elementos são indispensáveis para as diversas etapas de um projeto. Este post vai mostrar o que você precisa disponibilizar para seus 
    clientes em sua loja, mantendo-se relevante e aumentando o faturamento. Confira! Caixa de massa A massa é material de finalização das paredes, na sua preparação para receber a tinta, portanto, importante para a estética da obra. Para que ela seja utilizada de forma adequada, é fundamental uma caixa de massa, que permite a sua conservação durante a aplicação. Kit Parafuso Os parafusos são importantes já na etapa final da construção: na montagem de móveis, aplicação de prateleiras e estruturas do tipo. Um bom kit de parafusos oferece resistência e qualidade na montagem. Kit pregoprego tem uma função muito parecida com a do parafuso, porém, com uma estrutura mais simples, ele é mais recomendado para montagem em peças e móveis de madeira. Oferecer kits na loja pode ser muito rentável. Kit buchabucha é uma espécie de receptor de parafusos. Ela fica dentro de um buraco feito em uma estrutura ou em uma parede, conseguindo a firmeza adequada para receber a peça. Fundamental, ela pode ser vendida em kits. Kit arruelaarruela é mais uma ferramenta que atua em conjunto com um parafuso — quando ele está suportando pesos maiores. A arruela oferece um suporte extra para que o parafuso não seja danificado. Furadeira A furadeira é necessária na etapa final da obra, em instalações elétricas, montagem de móveis e outros detalhes. Ela é indispensável para finalizar qualquer projeto. Rolos de tinta Na parte final de um projeto, a pintura é o toque de estética e, geralmente, o que mais agrada em uma construção. Sem o rolo não dá para pintar, ou seja, ele é uma ferramenta básica e que vai vender muito.     Bandeja para pintura Do mesmo modo que o rolo de tinta é importante, a bandeja também é um item de grande ajuda na hora de finalizar uma obra. Ela vai comportar a tinta da forma correta, sendo usada juntamente com o rolo. Caixa de passagem para split O ar condicionado é indispensável em muitas obras, sejam empresariais, sejam residenciais. Atualmente, o split é o equipamento mais usado, demandando uma caixa de passagem adequada ao seu tamanho, que o comporte e tenha uma drenagem eficiente. Esse produto é uma ótima oferta para a sua loja! Tubos Os tubos são peças fundamentais para uma necessidade que a maioria dos projetos tem: o encanamento. Não dá para não ter na loja! Ofereça materiais distintos para o trabalho com água quente e fria. Conexões As conexões são as estruturas que ligam um tubo ao outro, ajudando a encaixá-los no projeto da obra. Assim, eles podem seguir linhas retas e também fazer curvas. Sem elas não há tubulação. Telhas Voltadas para a cobertura de estruturas, as telhas são utilizadas em muitos projetos, especialmente residenciais. Isso mostra o quão importante é oferecê-las em diversos materiais: alumínio, metal, cimento, amianto e outros. Tijolos Os tijolos simplesmente compõem a estrutura física da casa, sendo responsáveis por dar vida às paredes. Uma loja de materiais e ferramentas para construção que oferece esse produto tem um fluxo de saída garantido. Argamassa Um composto com vários materiais, a argamassa tem duas funções primordiais em uma construção: proteger contra a umidade e assentar estruturas. Ela pode ser usada para juntar blocos ou revestir paredes de tijolos. Rejunte O rejunte é o responsável por preencher os espaços que ficam entre um piso e outro, dando uniformidade, estabilidade e aglomeração entre eles. Ele é fundamental também para a parte estética da obra, sendo indispensável para uma loja.   Ferramentas para construção e materiais básicos precisam estar entre o rol de produtos que uma loja do segmento oferece. Isso garante a relevância do estabelecimento e, naturalmente, seu fluxo de vendas. O que você procura para a sua obra? Conheça melhor a Goma! Entre em contato e veja quais produtos e ferramentas são úteis para o seu projeto.  
    08
    Jun
    2018

    Organize a venda de parafusos na sua loja de material de construção

        A boa organização e a correta exposição dos produtos é um dos aspectos que mais chamam a atenção dos clientes em um estabelecimento varejista. Diante disso, organizar a loja para aumentar a venda de parafusos é fundamental para garantir a saída de um produto que tem diversas utilidades. Nesse sentido, a gestão precisa focar em medidas que mantenham a boa visibilidade dessas mercadorias, além de fazer um estoque com os tipos de parafusos mais procurados. Selecionamos, neste artigo, importantes dicas e orientações para auxiliar a organização de sua loja de parafusos. Acompanhe! Conheça os tipos de parafusos mais comuns O bom gerenciamento de estoque é aquele que faz uma 
    provisão de materiais segundo o fluxo de vendas. Basicamente, a loja deve priorizar dois grandes grupos: itens para madeira — que são 18 subtipos — e os chamados parafusos mecânicos, compostos por 64 grandes grupos. Entre os parafusos para mecânica, também estão incluídos aqueles utilizados para chapas. Nessa classificação há variações de tipo de cabeça, de corpo, de ponta e também de atarraxamento. Quanto aos materiais utilizados na fabricação dos parafusos, os mais comuns são aço, aço inox e latão. O acabamento pode ser cromado, zincado, oxidado, oleado e de outras variações. Em linhas gerais, os parafusos são classificados da seguinte forma:
  • parafusos passantes: os que compõem esse modelo podem ter cabeça ou não. Em geral, requerem o uso de porcas e arruelas;
  • parafusos não passantes: não necessitam de porcas, já que a ligação é feita por meio de um furo roscado;
  • parafusos de pressão: como o próprio nome diz, são fixados por pressão das pontas sobre a peça. Alguns modelos têm cabeça, outros não;
  • parafusos prisioneiros: não têm cabeça, mas têm rosca nas duas pontas. Esses tipos são ideais para peças que precisam de montagem e de desmontagem frequente.
  • Melhore a organização do setor de parafusos Manter a correta exposição dos produtos em sua loja de parafusos permite que o cliente os encontre com mais facilidade. Para aumentar as vendas, o ideal é que estejam distribuídos em pequenas cartelas e separados conforme o tipo e o tamanho. De igual modo, é importante que as prateleiras sejam diariamente higienizadas para evitar o acúmulo de poeira sobre as peças. Além de influenciar no bom visual da loja, limpeza e organização sempre causam uma impressão positiva, não é mesmo?  Se os itens não estiverem bem distribuídos — em uma ordem lógica e dinâmica — a venda de parafusos pode ser prejudicada. Investir nesses aspectos é fundamental, pois se vendidos de forma mais organizada, contribuem para aumentar o valor agregado.  Diante da competitividade atual, é necessário priorizar ações que tornem a sua loja de parafusos mais atrativa e confortável para os clientes. Tais critérios podem influenciar a conversão de vendas, valorizar a sua marca e impulsionar o seu ticket médio. Confira os aspectos mais favoráveis à venda de parafusos  Os parafusos são peças que têm indicações conforme as suas especificidades. Logo, ficar de olho nos fatores que influenciam a conversão de vendas desses itens é fundamental. Veja os mais importantes: Autosserviço Atualmente, é necessário buscar meios para atrair o cliente e atender a expectativa dele. Assim, a venda de parafusos também precisa seguir a tendência dos outros produtos da loja: ser oferecida sob a forma de autosserviço. Para facilitar a identificação do tipo e de modelo de parafuso que o cliente procura, os itens devem ser vendidos em cartelas — em pequenas quantidades — e com código de barras. Qualidade  A qualidade dos produtos é indispensável para a sustentabilidade do negócio. Além de aumentar o nível de satisfação do cliente, oferecer mercadorias com um padrão de excelência acima da média é fundamental para fortalecer a marca. Desse modo, é primordial garantir boa qualidade aliada a um preço competitivo. Preço Procure variar bastante a tabela de preços. Promova maneiras de captar e de conquistar novos clientes por meio de promoções, brindes e, principalmente, pela prática de uma precificação justa e acessível. Somado a isso, coloque todos os parafusos organizados na mesma seção. Isso facilita a visão do cliente e o auxilia na escolha pelo que se enquadra em suas preferências ou condições financeiras. Utilize estratégias favoráveis à conversão de vendas e procure atender, ao máximo, a expectativa do consumidor. Para manter a seção sempre em ordem, deixe sempre alguns dos parafusos à mostra: isso permite que o cliente pegue a mercadoria sem que haja a necessidade de abrir os pacotes. Fornecedores Uma das formas de minimizar os erros nesse tipo de negócio é buscar fornecedores confiáveis e idôneos. Para garantir êxito em suas investidas, pesquise bastante, peça por informações e verifique alguns detalhes com os fornecedores. Solicite também referências aos amigos do ramo e tente trabalhar com fornecedores parceiros e que estejam dispostos a suprir a sua loja de parafusos com o que há de melhor no mercado. Mantenha a sua equipe bem informada e preparada para atender — e vender — para os clientes mais exigentes, busque um diferencial e esteja sempre alinhado às novidades. Garanta apenas o melhor para os seus consumidores e tenha em mente estratégias que tornem a sua loja cada vez mais competitiva. Variedade Manter a variedade de produtos é uma estratégia que ajuda a atrair várias classes de pessoas para a sua loja. É importante atender bem os clientes que estão em busca de produtos de qualidade, mas que sejam ofertados a um preço acessível. Além disso, encontrar uma mercadoria específica em uma loja de material de construção deve ser uma tarefa simples e fácil. Pois o estilo de vida moderno influencia o comportamento dos consumidores e, com isso, eles estão sempre apressados e em busca de praticidade. Nesse contexto, saber como estruturar a sua loja para aumentar a venda de parafusos exige mais atenção na disposição e na organização dos produtos. Tais fatores sinalizam mais credibilidade à marca, elevam o nível de satisfação do cliente e aumentam as chances de retorno dele ao seu estabelecimento. Agora que você sabe como organizar a venda de parafusos baixe um e-book gratuito com valiosas dicas para aumentar as vendas em sua loja de material de construção!        
    11
    Mai
    2018

    Conheça os principais desafios do comércio de bairro!

        Apesar de representar uma grande porcentagem de empresas no Brasil, o comércio de bairro enfrenta vários desafios que podem fazer com que o seu negócio não prossiga. Empresas com esse perfil, geralmente, optam por reduzir custos, por isso contam com a ajuda de parentes para participar da gestão e das atividades operacionais. Apesar da importância desses empreendimentos na economia, muitos possuem um tempo de vida curto por conta dos desafios enfrentados na administração do negócio. Para não entrar nessa estatística, listamos os principais desafios e algumas dicas para os contornar. Continue a leitura e confira!   Falta de planejamento Muitas vezes, um empreendedor inicia seu negócio sem planejar todas as etapas. Nesse cenário, o empresário enxerga uma oportunidade e buscar solucionar o problema criando um comércio, por exemplo. Um comércio de bairro, apesar de geralmente envolver membros da família, se bem administrado pode ter muito sucesso no mercado. Mas, para isso, é essencial procurar ferramentas que possam auxiliar na administração da empresa, tais como 
    softwares de planejamento que auxiliam controlando seu estoque, estando sempre atentos ao alinhamento dos preços. Eles também fazem relatórios para acompanhar o desempenho e trabalham com notas fiscais.   Adaptação à tecnologia Por falta de conhecimento ou por achar que o investimento em tecnologia é caro, diversos negócios optam por não investir e contam com alternativas analógicas ou que aumentam o trabalho operacional. A tecnologia é uma ferramenta essencial para uma empresa, podendo ajudar na divulgação e também facilitando vários processos, até mesmo entre os próprios funcionários. Uma empresa que permite o acesso por meio de vários canais de comunicação ganha pontos com os clientes, afinal, em meio à correria do dia a dia, as pessoas optam por algo que facilite sua vida e, principalmente, que as deixem satisfeitas. Nessa situação, o ideal seria criar páginas de divulgação na Internet, seja no Facebook, onde a maioria tem conta hoje em dia, ou até mesmo criando sites próprios. Assim, o comércio tem a chance de se expandir para mais pessoas e não somente para conhecidos.   Profissionalização da família Para gerenciar uma empresa de forma eficiente, é importante a profissionalização dos colaboradores, principalmente quando se trata de família. Nesse caso, é importante estar disposto a investir em novos métodos e se adaptar a eles, pois está sujeito a mudanças imprevisíveis no mercado e o objetivo não é ficar para trás. Se possível, invista em cursos, assista videoaulas ou até mesmo leia artigos na Internet. Conhecimento nunca é demais e certamente ajudará na administração do comércio de bairro.   Defasagem na inovação Nos comércios de bairro, raramente se tem inovações. Um dos motivos é a gestão ser familiar, porque o empreendedor foca tanto na sucessão ou em seu elo afetivo que acaba esquecendo esse fator importante. Inovar pode ser essencial para várias áreas, tais como: na organização da loja, de forma que facilite o cliente na hora da compra, utilizando também as táticas de visual merchandising; ficar atento aos produtos mais procurados para nunca deixar faltar ou, até mesmo, se não tiver, que o providencie para suprir a necessidade do cliente; fazer promoções em dias comemorativos (como aniversário da loja); e, se for o caso, fazer entrega em domicílio.   Atendimento aos consumidores Desenvolver um bom treinamento para os funcionários da empresa é essencial e ajuda a atrair ainda mais consumidores, principalmente se você sabe como tratá-los da maneira certa. Apesar de ser algo simples, pode fazer toda a diferença na percepção que o cliente tem de seu negócio. Afinal, um bom atendimento é o mínimo esperado. Personalize o contato, ofereça mimos e busque novas estratégias para essa área. Nesse sentido, sua empresa pode contar com ajuda de instituições como o Sebrae. Sabemos que administrar um negócio é um desafio diário, mas com organização, vontade e conhecimento, você conseguirá bons resultados em vendas.    Agora que você já sabe como gerir um comércio de bairro, que tal aprender a escolher fornecedores certos para o seu negócio?  
    08
    Mai
    2018

    Reforma de lojas: entenda por que ela é tão importante!

        A reforma de lojas é grande aliada dos empreendedores que têm como objetivo atrair mais consumidores para o negócio. Isso porque a primeira impressão tem o poder de decidir se a pessoa vai ou não se sentir atraída pelo estabelecimento. Por isso, é importante manter sua 
    loja de material de construção sempre organizada e com um aspecto aconchegante. Mesmo em meio à crise, vale pensar na possibilidade de reforma — nem que seja com poucos recursos, até porque um pequeno investimento junto com organização pode trazer soluções interessantes e bons resultados. Pensando nisso, preparamos uma lista com tópicos que você precisa levar em consideração ao reformar. Continue a leitura e confira!   Reforma de loja: mais valor agregado para seu negócio Não é novidade que uma loja bonita e atraente ajude a vender mais. A fachada e o ambiente interno de uma loja são os primeiros pontos observados por um potencial cliente.  O impacto produzido, entretanto, pode ser negativo ou positivo. Por isso, pensar em uma reforma para deixar o layout mais harmônico e funcional ou fachada mais atrativa só traz benefícios para o negócio — claro que seguindo um planejamento e orçamento.    Plano de reforma O planejamento é o primeiro passo de qualquer reforma de lojas. Comece listando suas preferências e consultando o empreiteiro de sua obra — que certamente será um especialista — para que ele oriente os trabalhos a partir das ideias apresentadas. Só não deixe tudo nas mãos do profissional para que ele não se aproveite da situação para ganhar mais. É essencial contratar alguém de sua confiança para que tudo saia conforme planejado. E lembre de ter sempre uma reserva para possíveis imprevistos relacionados ao tempo e custo da obra. Problemas podem acontecer a qualquer momento, então é importante estar prevenido.   Layout A parte visual da loja é o primeiro contato com o cliente. Tenha cuidado principalmente com a área externa, que fará com que o estabelecimento tenha destaque e convide o consumidor para entrar. É importante investir nesse ponto com uma vitrine bem elaborada, que contenha o preço dos produtos e letreiros para destacar a loja. A parte interna também deve ser trabalhada para que não gere decepção ao cliente que já estará encantado com a fachada. Para isso, mantenha a loja sempre limpa e higienizada, cuide da disposição dos produtos e deixe tudo organizado. Se possível, utilize estratégias de visual merchandising para chamar a atenção do público e melhorar as vendas. Não esqueça da iluminação, que apesar de ser algo simples, pode fazer toda a diferença na hora de destacar seus produtos.   Organização Acredite, a organização pode fazer milagres em seu estabelecimento. Primeiro porque vai mostrar a competência de sua loja e de sua equipe, além de facilitar a visualização dos produtos — o que pode interferir diretamente na decisão do cliente de realizar ou não a compra. Para isso, o ideal é criar um mapa da loja. Dessa forma, o consumidor vai se sentir à vontade e satisfeito com a praticidade. Confira outras dicas:
  • organize os produtos em setores;
  • crie uma exposição que atraia o consumidor e que no fim gere lucro;
  • saiba aproveitar os pontos quentes e frios da loja;
  • utilize a área do caixa para expor itens versáteis;
  • destaque os produtos em promoção.
  •   Apesar de ter seu custo, a reforma de lojas é apenas um investimento para algo que produzirá um lucro maior. Portanto, reserve tempo suficiente para planejar esse trabalho e melhorar ainda mais o seu estabelecimento.   Gostou das dicas que listamos? Agora que você está bem informado, compartilhe o conteúdo nas redes sociais para ajudar outras pessoas que enfrentam o mesmo problema!  
    26
    Abr
    2018

    Produtos para loja de material de construção: checklist indispensável

      Um dos fatores de sucesso de um estabelecimento comercial é oferecer itens que os consumidores procuram. Ao escolher os produtos para 
    loja de material de construção, essa deve ser a maior preocupação do empreendedor. Para fazer isso com maestria, coloque-se no lugar das pessoas que imagina comprando no seu comércio. Qual é a necessidade delas? Dessa forma, é possível encontrar o que não pode faltar no seu estoque. Continue conosco e vamos lhe ajudar nessa tarefa!     Construção Grande parte dos clientes de sua loja estão construindo. Por isso, é importante ter em estoque os produtos básicos para esse processo. Pense que está erguendo uma parede. O que você compraria para começar? A resposta são os materiais primários que você deve oferecer em seu estabelecimento.   Materiais É indispensável atender compradores em busca dos primeiros itens para começar uma edificação. Fidelizar clientes no início das obras pode levá-lo a comprar com você durante todo seu empreendimento. Conheça quais são esses materiais:
  • cimento;
  • cal;
  • areia;
  • tijolo;
  • pedras.
  •   Ferramentas Além dos materiais, ferramentas são utilizadas pelos construtores que fazem o trabalho. Tenha aquelas que são primordiais para a realização, pois qualquer obra necessita delas para poder ser feita. Elas são:
  • colher de pedreiro;
  • carrinho de mão;
  • nível;
  • trena.
  •     Acabamento O acabamento é um processo delicado da edificação, pois garante beleza e maior harmonia ao ambiente. Muitos passam bastante tempo nessa etapa, utilizando diversos métodos para garantir um bom resultado final. É fundamental ter produtos de qualidade, atendendo a essa necessidade do mercado, que aumenta a cada dia. Os itens mais básicos dessa categoria são:
  • cimento de cola;
  • rolo de pintura;
  • desempenadeiras;
  • pisos e azulejos;
  • gesso.
  •     Ferramentas em geral Não passarão por seu estabelecimento apenas pessoas que estão construindo. Consertos rápidos e instalações também requerem materiais. Os mais utilizados para diversos fins são imprescindíveis de adquirir, pois os consumidores os procuram com frequência. Conheça alguns deles:
  • martelo;
  • alicate;
  • pregos;
  • chaves de fenda;
  • serra;
  • trena.
  •     Ligação elétrica Ao se construir uma casa, a segunda etapa é fazer as ligações elétricas. Podemos perceber, assim, a importância de possuir mercadorias desse cunho. Ao escolhê-las, pense em seu consumidor e o que ele necessita para desenvolver ou reparar as fiações elétricas de sua residência ou comércio. Os mais procurados são:
  • fios;
  • disjuntores;
  • quadros de luz;
  • lâmpadas;
  • fita isolante.
  •     Encanamentos em geral Os encanamentos existem na maioria das edificações. Eles são parte crucial de uma construção, já que todo fluxo de água e esgoto do local depende deles. Quem está construindo com certeza precisa de algum produto do departamento. Os mais críticos e indispensáveis de ter à venda são:
  • canos;
  • torneiras;
  • massa epóxi.
  •     Com esses produtos para loja de material de construção, as necessidades básicas dos clientes serão atendidas. No entanto, a longo prazo, é preciso avaliar suas vendas para desenvolver um bom mix de materiais. Com base nelas e na procura que recebe, saberá quais são os itens mais comprados e quais os consumidores buscam, mas você não possui. Assim, seu estoque fica cada vez mais alinhado com seu público, atendendo bem a demanda.   Não sabe onde encontrar produtos bons e baratos para compor sua lista? Entre em contato conosco, temos a solução!    
    09
    Abr
    2018

    Qual a importância do visual da loja na fidelização de clientes

        O visual da loja deve ser coerente com os produtos oferecidos. Atualmente, muitos são os recursos empreendidos para explorar e utilizar as 
    táticas de visual merchandising — uma nova forma de combinar marketing e comunicação visual para destacar os produtos e vender muito mais. Usar a linguagem típica dos produtos vendidos é fundamental para atrair os consumidores. E promover esse diferencial em sua loja pode trazer resultados surpreendentes nas estratégias de vendas e maximizar o seu faturamento. Confira neste artigo como o layout, a organização e a disposição dos produtos impactam a fidelização dos clientes. Boa leitura!   Por que investir no visual da loja é tão relevante? Diante da competitividade atual pela conquista de novos consumidores, é preciso aplicar estratégias para garantir ao consumidor uma ótima experiência de compra e, desse modo, aumentar as chances de fidelização. Priorizar o estilo da loja com um visual que dialogue com as mercadorias oferecidas pode ser um fator decisivo na hora da compra e, desse modo, colaborar positivamente para a conquista e a retenção dos clientes. Nesse sentido, cuidar para manter um ambiente agradável, moderno, climatizado, limpo e organizado, é fundamental para encontrar o produto desejado de forma rápida e fácil. Além do mais, esses detalhes ainda favorecem a formação de uma boa imagem de seu estabelecimento. Percebe-se, então, a importância de investir no layout da loja, já que esses fatores contribuem para que o consumidor passe mais tempo em seu comércio e compre mais produtos.   Quais os aspectos mais importantes e que tornam o visual da loja diferenciado? O seu estabelecimento precisa possuir uma aparência externa e interna capaz de convencer as pessoas a entrar nele. Mesmo de forma implícita, esse poder de atração é um dos passos iniciais — e definidores do futuro de muitas instituições — no que se refere à efetivação das vendas. Em linhas gerais, estratégia, planejamento e ação são as diretrizes que podem agregar mais valor à sua marca, garantir “uma nova cara” à sua loja e maximizar a lucratividade. Veja, então, quais aspectos são parte importante desse processo.   Fachada Independentemente do ramo de atuação, a fachada é o detalhe que causa a primeira impressão. Ela é um importante instrumento de comunicação: aspectos como limpeza, estilo, letreiros luminosos, utilizando diferentes materiais como letra caixa, e iluminação devem estar em perfeita harmonia para chamar a atenção de quem passa próximo.   Iluminação Deve ser atraente e visível tanto ao dia como à noite. A boa iluminação externa é aquela que possui uma estrutura capaz de destacar detalhes, como a logomarca e as placas. Internamente, é importante manter o foco em estratégias como a sinalização e no destaque para promoções.   Disposição dos produtos O estilo do ambiente interno precisa complementar o externo: exige-se a máxima atenção para que a disposição dos produtos não comprometa a infraestrutura da loja. Quando as pessoas entram em uma loja, elas a avaliam racionalmente. Porém, na hora da decisão de compra, são os fatores emocionais que falam mais alto. Assim, o visual de seu estabelecimento precisa ser projetado para influenciar a mente das pessoas e, dessa forma, vender muito mais.   Organização e limpeza A organização e a limpeza de sua loja precisam ser um dos fatores de destaque. Capriche na organização, no mobiliário, mantenha lixeiras em pontos estratégicos e utilize produtos de higienização adequados para garantir a boa impressão de seu estabelecimento. Os clientes apreciam um ambiente limpo, confortável e organizado. Além disso, um cheirinho agradável pode possibilitar a maior permanência deles em sua loja, aumentar a conversão de vendas e potencializar o seu ticket–médio. Nesse contexto, o visual da loja deve proporcionar bastante conforto e profissionalismo, visto que tais aspectos influenciam — de forma positiva ou negativamente — a percepção do cliente frente ao produto e a imagem do estabelecimento.   Quer aprender mais? Confira neste artigo como melhorar a estrutura de sua loja de material de construção!    
    04
    Abr
    2018

    Saiba como desenvolver um bom treinamento para os funcionários da empresa

        Investir no treinamento para funcionários é fundamental para a aquisição de novos conhecimentos. Nesse sentido, promover a qualificação por meio do desenvolvimento de habilidades técnicas é essencial ao desempenho e à atualização profissional. Mediante um cenário de crise, como é o caso do atual mercado brasileiro, capacitar o time e adotar estratégias específicas ao ramo de atuação pode 
    impulsionar o crescimento dos negócios. Diante disso, se você está em busca de estratégias que sinalizem bons resultados nesse sentido, esse é o caminho. Boa leitura!   Qual a importância de desenvolver um bom treinamento para funcionários? Desenvolver um bom treinamento resulta em incontáveis benefícios à empresa e aos colaboradores. Além do mais, a qualificação profissional é importantíssima para garantir a melhoria do atendimento, pois reflete diretamente na experiência do cliente. Outros fatores positivos são a valorização da cultura organizacional, a promoção da segurança do trabalho, a maior integração entre os setores da empresa e o aumento da produtividade.   Quais os tipos de treinamentos mais utilizados atualmente? Avaliar o tipo de treinamento mais adequado à sua empresa é fundamental para que o foco desse trabalho seja voltado especificamente para cobrir as falhas da sua equipe e otimizar os resultados. Para tanto, entenda quais os tipos de treinamento para funcionários são mais utilizados atualmente:   Presencial O treinamento presencial favorece a troca de conhecimento interno e externo entre os setores da empresa e viabiliza o crescimento dos colaboradores. Uma das maiores vantagens desse modelo é a possibilidade de análise imediata dos resultados, já que ele permite um feedback instantâneo.   Prático Esse treinamento é feito durante o trabalho e objetiva o desenvolvimento da equipe em múltiplas perspectivas ao promover a aproximação do funcionário com suas atividades diárias. É um modo seguro de treinar, na prática, as habilidades técnicas necessárias ao bom desempenho das funções.   Online É a modalidade que exige menor investimento, além de reduzir os riscos de prejuízos causados por pequenos imprevistos ou falhas de equipamentos técnicos. Além disso, o aprendizado online facilita a adesão de um maior número de participantes ao possibilitar a flexibilidade de horários.   Como organizar um bom treinamento para funcionários? O sucesso do desenvolvimento das habilidades necessárias ao crescimento é diretamente proporcional ao nível de organização do treinamento. E alguns parâmetros podem minimizar o risco de erros nesse processo tão importante para a continuidade dos negócios. Confira:   Identifique os pontos fracos da equipe O primeiro aspecto é observar, identificar e anotar as fraquezas que se tornam o pior gargalo na produtividade das equipes. Feito isso, avalie o desempenho dos funcionários durante a execução das atividades de trabalho. Isso permite a definição dos pontos que mais precisam de um novo direcionamento.   Crie um plano de ação Após definir as metas e identificar as falhas, escolha a melhor forma de aplicar o treinamento. A educação corporativa pode garantir melhoria em curto prazo, pois o foco na gestão do atendimento ao cliente é o caminho mais rápido para otimizar os resultados no comércio varejista.   Promova a troca de conhecimento Aproveite a disponibilidade de talentos e aplique uma estratégia voltada para a troca de conhecimento — o desenvolvimento dos talentos internos é fundamental para aumentar a produtividade. Essa pode ser uma alternativa viável, já que nas empresas existem funcionários com perfis e habilidades distintas.   Acompanhe os treinamentos Para motivar a participação em massa e mostrar a força da organização, uma boa estratégia é a presença dos gestores nos treinamentos para funcionários. Quando a liderança acompanha esses eventos mais de perto, os resultados e a expectativas são bem melhores.   Utilize ferramentas adequadas Utilizar ferramentas adequadas para promover o desenvolvimento de sua equipe é fundamental, pois garante ao seu empreendimento a solidez necessária para se destacar no mercado. Nesse contexto, para maximizar a eficácia do treinamento para funcionários é preciso avaliar, de forma estratégica e bem direcionada, qual modalidade de treinamento mais se aproxima da realidade de seu negócio.   Quer aprender mais? Confira também algumas dicas e sugestões valiosas sobre segurança do trabalho para o varejo!  
    27
    Fev
    2018

    Saiba quais são os feriados no comércio e como preparar para o movimento

        Ao longo do ano, encontramos diversas oportunidades para aumentar as vendas no varejo, seja físico ou on-line. Datas comemorativas e feriados no comércio podem elevar — e muito — o faturamento de uma loja. Mas, para que isso aconteça, é necessário ter um bom planejamento e uma estratégia eficiente para aproveitar essas datas. Ao mesmo tempo em que feriados podem representar uma queda no número de vendas, datas comemorativas são excelentes oportunidades para vender mais. Confira as principais datas para o comércio varejista:  
  • Dia das Mães;
  • Dia dos Namorados;
  • Dia dos Pais;
  • Dia das Crianças;
  • Black Friday;
  • Natal.
  •   Você pode aproveitar essas ocasiões de diversas maneiras, seja preparando uma 
    vitrine temática e decorando sua loja de maneira especial ou fazendo promoções com preços competitivos, vendas cruzadas, maior garantia etc. Quer saber mais sobre como aproveitar os feriados no comércio para aumentar as vendas da sua empresa? Então continue a leitura e confira nossas dicas!   Como vender mais em feriados comerciais O grande segredo para vender mais em datas sazonais é estar preparado e ter um planejamento bem elaborado que viabilize sua estratégia comercial. Confira nossas dicas:   1. Antecipe seu estoque Conhecendo o perfil do seu cliente, você saberá qual ou quais são os produtos preferidos por eles, podendo, assim, reforçar o estoque para épocas de mais vendas. Por exemplo, sabendo que o Natal está próximo e sua loja vende brinquedos, você sabe que é importante ter em estoque os produtos que estão em alta e que os pais poderão comprar para presentear seus filhos. Outro benefício de antecipar o estoque é a capacidade de negociar com os fornecedores. Isso aumenta suas chances de conseguir bons preços e condições de pagamentos, além de evitar o risco de ficar sem a mercadoria por conta de atraso na entrega ou indisponibilidade do produto.   2. Conheça seus clientes Conhecer os clientes da sua loja é fundamental para aumentar suas vendas em feriados no comércio. Analisando seu público, você poderá pensar ações de marketing para atrai-los durante esse período. Nesse ponto é importante tentar responder a perguntas como:
  • qual é o perfil do meu cliente?;
  • quais benefícios ele, normalmente, procura?;
  • o que o atrai quando busca por um produto?.
  • Respondendo a essas perguntas você terá um direcionamento muito maior para pensar uma campanha de marketing para convidá-lo à sua loja.    3. Treine sua equipe Preços competitivos nem sempre garantem boas vendas. Entretanto, contar com colabores treinados e bem preparados é um grande diferencial para aumentar as vendas em períodos sazonais. Sobretudo nos feriados que representam uma baixa nas vendas, ter uma equipe bem preparada é fundamental. Nesse ponto, é importante investir em treinamentos que auxiliem os vendedores a conhecerem melhor os produtos vendidos e a cuidar dos clientes que entram na loja.   Vender mais em épocas de alta é fácil. Agora, quando a sazonalidade interfere negativamente nos negócios é que uma equipe engajada e bem treinada faz toda a diferença. Nos principais feriados comerciais, como o Dia das Mães, é comum que os clientes estejam comprando presentes para terceiros, então é necessário que o vendedor saiba escutar o consumidor para aconselhar um produto que agrade ao presenteado e conquiste aquele que comprou.   Para aproveitar ainda mais os feriados no comércio, que tal conhecer 4 estratégias de promoção para o mercado varejista?   Temos diversas dicas no nosso e-book, tudo para aumentar a venda em lojas de material de construção!
    27
    Fev
    2018

    Saiba como criar um mapa de loja e sua importância para as vendas

        A organização de um estabelecimento impacta diretamente em suas vendas e na experiência dos seus clientes. Cuidar da fachada, da entrada, da vitrine e do layout do ponto de venda é fundamental para ter os melhores resultados e, para isso, é preciso pensar na criação do mapa de loja. O mapa de loja tem o objetivo de criar fluidez no interior de uma loja, proporcionada pela exposição correta dos produtos e pela organização adequada. Esses elementos pesam muito na decisão do cliente em realizar uma compra, 
    voltar ao local ou indicá-lo para outras pessoas. Pensando nisso, elencamos neste artigo as melhores dicas para que você saiba como criar um mapa de loja eficiente e gerar ótimos resultados para o seu negócio. Confira!   Organize produtos em setores O primeiro passo para criar um mapa de loja é separar seu mix de produtos em categorias e setores. Cada setor da sua loja deve ser composto por categorias que se relacionam e fazem sentido dentro de um processo de compra completo. Se você trabalha com uma loja de materiais de construção, por exemplo, o ideal é ter os materiais de cozinha todos dentro de um mesmo setor, uma vez que quem está reformando ou construindo pode precisar de alguns produtos para esse ambiente e, portanto, tê-los todos no mesmo local facilita a compra de vários itens.   Crie uma exposição inteligente e atrativa Agora que os produtos estão categorizados, é preciso pensar em como organizá-los dentro do espaço da loja. O ideal é considerar quais são as categorias mais importantes para o negócio e colocá-los em pontos de destaque mais visíveis para os clientes.  Além disso, é indicado criar um fluxo de visita para os clientes, fazendo com que seja natural a passagem dele por todos os ambientes da loja. Dessa forma, o cliente se orienta melhor, passa mais tempo na loja e compra mais.   Aproveite pontos quentes e frios da loja Outra dica importante é pensar em como aproveitar os pontos quente e frios do ambiente — ou seja, aqueles locais nos quais o fluxo de clientes é naturalmente maior e menor, respectivamente. O ideal é que os pontos frios sejam transformados em quentes e os pontos sejam usados para destacar produtos importantes, como promoções ou lançamentos. Locais frios são, normalmente, os cantos no fundo da loja, com menor visibilidade. Os quentes são a entrada e as áreas de caixa. Para "aquecer" os pontos frios, o indicado é colocar nesse local itens muito procurados ou um ambiente estratégico, como uma sala para negociações ou testes, por exemplo.   Dê atenção aos produtos em promoção  Todo varejista faz promoção de produtos — seja para atrair clientes, seja para queimar produtos com muito estoque. Para que essa ação seja bem-feita, é preciso fazer a exposição correta da promoção.  O indicado é dar destaque para esses itens, seja por meio de etiquetas mais coloridas e chamativas na gôndola, inclusão de sinalizações, seja pela exposição em pontos de muito interesse — como entrada da loja, ponta de gôndola ou ilhas nos corredores.   Aproveite o ambiente de caixa Por fim, é preciso aproveitar o ambiente de caixa da loja. Nesse local, é indicado apresentar produtos de baixo custo e uso versátil ou itens com altas chances de compra, que aumentam o ticket médio por cliente. Além disso, a exposição de produtos próximos ao caixa funciona como uma distração para os clientes quando eles precisam esperar na fila. Muitos estabelecimentos oferecem, por exemplo, revistas para que eles leiam enquanto esperam.   Use essas dicas para melhorar a exposição dos seus produtos e criar um ambiente mais propício para aumentar suas vendas e melhorar a experiência dos clientes. Agora que você sabe como criar um mapa de loja eficiente para o seu estabelecimento, confira a importância de compreender o fluxo dos clientes dentro dele e melhore ainda mais os seus resultados!     Temos muitas dicas boas no nosso e-book. São dicas simples para te ajudar a aumentar as vendas!  
    20
    Fev
    2018

    Saiba como escolher fornecedores certos para seu negócio

        Empresas que atuam no varejo da construção civil lidam o tempo todo com a inovação dos materiais de construção, bricolagem e materiais para obras e reformas. E o consumidor final costuma ser exigente nesse mercado, portanto, saber como escolher fornecedores é o primeiro passo para vendas sustentáveis, que abram caminho para o crescimento. Também não se pode desconsiderar que o setor varejista de materiais de construção se encontra em um momento de reestruturação. De acordo com o Sebrae, o momento pede atenção redobrada na 
    estratégia de negócios — até mesmo em função da grande concorrência no setor. Para tanto, é necessário começar bem na escolha dos parceiros responsáveis por abastecer sua loja. Então, comece por considerar as 4 dicas a seguir!   Analise a qualidade dos produtos e serviços Quem vende material de construção sabe melhor do que ninguém o quanto é importante e estratégico disponibilizar produtos de alta qualidade. Uma marca de cimento ruim, por exemplo, pode comprometer seriamente a estrutura de um imóvel. O mesmo vale para componentes como janelas, portas e esquadrias. Se o material for de má qualidade, não tenha dúvidas de que a sua loja será responsabilizada, o que é ruim para a reputação. Assim, caso o seu negócio ainda não tenha um padrão de qualidade definido, busque estipular parâmetros para guiar na escolha dos fornecedores. Com que marcas eles trabalham? São reconhecidamente duráveis e de confiança? Uma vez que esses parâmetros estejam alinhados, sua empresa poderá fazer encomendas sem medo de revender produtos de procedência duvidosa.   Alinhe padrões e objetivos de negócios Será que aquele fornecedor que parece oferecer tantas vantagens tem a mesma preocupação que você com a imagem da sua loja? O volume de pedidos que a sua empresa pretende fazer está de acordo com a capacidade de entrega? Fechar uma parceria que não esteja em sintonia com o que você precisa — mesmo que ofereça bons produtos — com o tempo pode gerar problemas, principalmente em relação ao estoque. Se a escolha for por um parceiro comercial grande demais, por exemplo, é possível que sua empresa perca representatividade. Por outro lado, se o fornecedor escolhido não tiver estrutura para atender às suas demandas, corre-se o risco de desabastecimento. Diante disso, tente encontrar empresas que garantam o fornecimento de produtos dentro das suas estratégias comerciais, que entreguem rápido e sem prejuízo na qualidade.   Faça uma cotação de preços A margem de lucro no varejo da construção deve ser sempre calculada tendo-se em vista o custo de aquisição dos produtos. Junto à análise dos preços da concorrência, é essa a base para a formação de preços competitivos. Sendo assim, nada mais coerente que optar por fornecedores que ofereçam mercadorias que você possa revender a valores que preservem a sua lucratividade. O importante é encontrar o equilíbrio. As vendas devem cobrir os custos operacionais, ao mesmo tempo em que os preços praticados devem ser atraentes para o consumidor final. Faça uma pesquisa ampla, reconheça quais são as opções disponíveis no mercado, e escolha de acordo com o melhor custo-benefício.   Considere o tempo de reposição e giro do estoque Normalmente, lojas de material de construção trabalham com estoque para garantir o atendimento aos seus clientes. Embora exista o dropshipping, essa é uma modalidade ainda perigosa, uma vez que não há como estabelecer padrões de eficiência nas entregas. Assim, tenha em vista o tempo que leva para a sua linha de produtos e materiais ser esgotada nas prateleiras, e calcule quanto demora para um parceiro entregar com base nessa demanda. Existe até um cálculo simples para isso. Por exemplo, se a sua loja vende 10 caixas de parafusos por dia e são necessários 7 dias para receber novas caixas, você precisará manter estocadas, no mínimo, 70 unidades — o que, no varejo, se chama estoque mínimo. Enfim, como escolher fornecedores depende de um conjunto de critérios muito bem definidos, reveja todos os pontos aqui descritos e avalie se o que você tem à disposição compensa. E nunca se esqueça de aliar tempo de entrega com qualidade e preço justo! E aí, gostou do post? Sua loja já conta com uma rede de fornecedores? Sobrou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe-nos o seu comentário! Teremos prazer em responder.  

    BUSCAR


    O que você procura?


    ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    INSTITUCIONAL

    REDES SOCIAIS

    TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. PLATAFORMA MEGYS DESENVOLVIDA POR YDEAL TECNOLOGIA