15
Ago
2017

4 dicas para conseguir crédito para ampliar sua loja

    A economia começa a dar sinais de recuperação e o momento é bom para investir no negócio. Isso não significa necessariamente que precisa ter dinheiro em caixa para aplicar. Muitas empresas continuaram se desenvolvendo, mesmo diante da crise política e econômica que se abateu sobre o país, graças as linhas de financiamento disponíveis. Mas você sabe como conseguir crédito para ampliar a sua loja? Uma das armas adotadas pelo atual presidente para combater a recessão foi não aumentar as taxas de juros (Selic), mantendo o crédito mais acessível e barato, principalmente aos pequenos e médios empresários que são responsáveis por um grande volume de contratações no país. Para você não ficar fora dessa, listamos os passos mais importantes que deve seguir para aproveitar a oportunidade, conseguir um bom crédito para investir na loja e elevar o patamar do seu negócio. Acompanhe!     1. Avalie as necessidades reais do negócio Antes de qualquer coisa, você precisa descobrir o que a sua loja precisa.
Equipamentos, móveis, veículos, materiais, um bom software de gestão, aquisição de um espaço maior e a realização de novas contratações são alguns exemplos. Depois, pesquise os preços dos itens necessários e some o valor total para saber de quanto precisará para fazer o investimento. Sabendo exatamente o que você precisa, ajudará a decidir que tipo de crédito utilizar e o valor essencial, evitando pagar juros desnecessários.     2. Pesquise as opções de crédito Agora que você já sabe do que necessita, descubra as opções de crédito disponíveis no mercado. Veja alguns exemplos abaixo:   Bancos Os bancos oferecem linhas de crédito com valores mais altos e prazos mais estendidos, mas costumam cobrar as maiores taxas do mercado. Sem contar as garantias exigidas.   Financeiras As financeiras oferecem linhas de crédito mais limitadas, mas, por concorrerem diretamente com os bancos, cobram taxas de juros menores e são mais flexíveis quanto as garantias.   Financiamento direto Muitas lojas oferecem planos de financiamento próprio. Dependendo do volume e valor da compra, sai mais em conta parcelar direto com a loja onde irá comprar todos os itens e serviços necessários. Independente da modalidade de crédito que escolher, fique sempre atento as taxas de juros cobradas, número de parcelas, valor de cada uma delas e as penalidades impostas por atrasos nos pagamentos para planejar o orçamento e não prejudicar o fluxo de caixa.     3. Elabore um plano de negócios Outro fator importantíssimo a se considerar sobre como conseguir crédito é a formação de um plano de negócios conciso, detalhando o projeto. Muitos bancos exigem o plano de negócios para decidirem se vão liberar o crédito e em qual valor, quando se trata de pessoa jurídica. Por meio dele, o banco ou a instituição financeira deve avaliar a viabilidade do projeto e determinar um limite de crédito com base nos riscos envolvidos na operação. Para ganhar força, adicione garantias de pagamento ao projeto. Por exemplo: veículos, imóveis, créditos de contas a receber, etc. Isso aumenta o grau de confiabilidade de quem cederá o crédito.     4. Dê entrada no processo Você já sabe do que precisa e negociou o crédito. É hora de dar entrada no processo para recebê-lo. Seja um empréstimo ou um financiamento, junte a papelada necessária. Os principais são:  
  • documentações pessoais;
  • documentações da empresa;
  • o plano de negócios;
  • comprovantes de receitas;
  • provas de que as garantias (bens e/ou direitos) são realmente suas.
  •   Cada instituição trabalha com padrões diferentes de atendimento e podem exigir outros documentos além desses. Então reúna o que for necessário e mãos à obra. Investir na expansão da sua loja não é difícil. Basta seguir esses passos de como conseguir crédito que terá sucesso na sua empreitada. O que não pode acontecer é você deixar de investir no seu negócio, visando o crescimento e as melhorias do mesmo.    As nossas dicas te ajudaram a decidir qual crédito utilizar para ampliar o seu negócio? Então nos siga no Facebook e acompanhe os nossos conteúdos!  
    20
    Jun
    2017

    Saiba como fazer fluxo de caixa no varejo e controlar suas contas

      Ter a sua própria empresa é a realização de um sonho e cuidar do seu próprio negócio é um desafio que exige certos cuidados. Neste post você vai entender como fazer fluxo de caixa, como esta ferramenta poderá lhe ajudar na sua rotina, organizando suas finanças e permitindo um maior controle do seu dinheiro. Além disso, você irá compreender os passos necessários, cuidados e vantagens que o fluxo de caixa no varejo pode trazer para o seu negócio e como usufruir de todos estes benefícios. Vamos lá?     Conheça o fluxo de caixa Para começo de conversa, é necessário que se saiba o que é o fluxo de caixa. A ferramenta financeira, apesar do nome, deve contar não só com os valores em dinheiro, ou seja, o caixa da sua empresa, mas também aqueles que estão nas contas correntes e aplicações de curto prazo, já que estes também são facilmente conversíveis em dinheiro. Além disso, o fluxo de caixa também é formado por entradas e saídas. As entradas, em sua grande maioria, são relacionadas com recebimentos de clientes e outros valores recebidos. Já as saídas têm ligação com pagamentos relativos a compras, funcionários, impostos e outros valores da atividade de seu negócio.     Ponha em prática o fluxo de caixa Para colocar em prática o fluxo de caixa você precisa de uma
    planilha ou um software de gestão que mais seja adequado às necessidades do seu negócio. Após essa decisão, é preciso definir uma data de corte. A partir desse momento, é preciso separar os saldos de todas as contas que representam recursos financeiros de sua empresa e registrar tudo. Na sequência, você deverá confrontá-los com o valor das entradas e subtrair o valor das saídas. Com esse processo, no final do período, pode ser o final de um dia, por exemplo, será obtido o fluxo de caixa, ou seja, o valor disponível para utilização de acordo com suas necessidades.       Tenha alguns cuidados Registre toda a movimentação, independentemente do seu valor. Adicionalmente, é preciso detalhar o máximo possível todos os registros, para que auxiliem no caso de dúvidas e depois na categorização das entradas e saídas. Esse procedimento é a evidenciação de informações claras e precisas nos históricos das operações realizadas. Outro cuidado essencial é que o fluxo de caixa seja alimentado diariamente, refletindo como estão as finanças em tempo real. Também é preciso cuidado especial com os cheques pré-datados, tanto que forem recebidos ou repassados a terceiros. Estes valores só devem ser considerados quando forem efetivamente descontados.     Utilize todas as vantagens do fluxo de caixa O fluxo de caixa no varejo auxilia na organização do seu negócio e também permite decisões de caráter gerencial e estratégico. Com ele é possível separar as entradas e saídas por tipo e entender o comportamento das receitas e dos gastos, permitindo baixar, cortar ou substituir alguns deles ou buscar novos clientes. Outra possibilidade é fazer projeções para o futuro, utilizando o fluxo de caixa projetado, que irá auxiliar a sua empresa a fazer uma reserva para o futuro. Isto permite, por exemplo, que ela enfrente, sem dificuldades financeiras, aqueles períodos de menor procura ou baixa nas vendas. Neste post você entendeu como fazer fluxo de caixa sua importância para o varejo. Você também compreendeu alguns dos cuidados e vantagens que a ferramenta trará para a sua gestão e o diferencial que pode trazer para o seu negócio.   Assine nossa newsletter e fique por dentro deste e outros assuntos que ajudarão na gestão do seu negócio!
    01
    Jun
    2017

    4 dicas para organizar processos na empresa que vão ajudar a reduzir custos

        Um dos objetivos principais de qualquer empresário é 
    aumentar os lucros, buscando maior espaço no mercado. Para isso, é fundamental entender mais sobre o negócio, identificando formas de reduzir custos sem comprometer a qualidade da atividade. Uma boa gestão financeira garante estabilidade para o negócio e permite que decisões estratégicas possam ser tomadas, otimizando os processos da empresa de forma estratégica. Aprender a fundo sobre os métodos adotados pela sua companhia é a melhor maneira de se desenvolver, e hoje falaremos sobre como isso pode te ajudar a controlar os gastos — parte vital de qualquer corporação de sucesso. Se interessou? Então acompanhe!     1. Fazer uma autoavaliação da atividade O primeiro passo é traçar um planejamento de como o dinheiro está sendo investido. Faça uma análise de todas as despesas, desde as pequenas — como água, luz, energia elétrica, materiais para realizar o trabalho —, até as maiores — locação, controle do estoque, manutenção de funcionários e fornecedores. A ideia é entender e discriminar os gastos para saber o que está gerando um retorno de investimento sadio para o negócio, bem como apontar o que pode ser economizado. Dessa forma, você é capaz de identificar quais são os índices menos benéficos e desenvolver soluções para eles!     2. Reorganizar processos de compra, venda e entrega Avalie estratégias com seus parceiros para realizar as compras, vendas e entregas de formas otimizadas. Muitas vezes, uma má gestão não consegue promover uma boa organização de produtos, apontar o melhor momento para fazer uma reposição na empresa, o transporte pode ser mal planejado etc. Imagine fazer um reabastecimento desnecessário: caso seja feito muito cedo, haverá mais gastos com armazenamento e manutenção dos materiais— e consequentemente, suas despesas. Caso seja feito muito tarde, você pode perder clientes que procuram por determinado produto fora do seu estoque. É importante aliar sua gestão financeira com uma boa gestão de processos para reduzir custos de maneira efetiva!     3. Articular com fornecedores Uma das maiores despesas na vida de um empresário é a com fornecedores. Muitas vezes, as relações, inicialmente benéficas para as duas partes, podem encaminhar para gastos elevados ao longo do tempo. É fundamental saber conversar e chegar em um consenso com seus parceiros. Invista em um bom diálogo para renegociar preços e execução do serviço. Outra prática interessante é buscar por novas parcerias: empresas novas em busca de espaço no mercado, são capazes de suprir suas necessidades a preços acessíveis, então considerar trocar fornecedores pode ser uma opção!     4. Investir em treinamentos Os funcionários são essenciais para qualquer empresa de sucesso, então por que não investir neles? Ofereça treinamentos, seminários e atividades capazes de orientá-los a desempenhar um trabalho com maior excelência. Esse é um investimento auto pagável que aumenta a qualidade dos profissionais: além de permitir um atendimento diferenciado aos clientes, ajuda a reduzir custos com retrabalho, correção e resolução de erros. Processos bem definidos em uma empresa, são capazes de auxiliar na gestão de vários setores: atendimento, estoque, RH, financeiro, entre outros são grandes beneficiados por uma boa gestão.         Você gostou de aprender algumas práticas para reduzir os custos da sua atividade? Nós temos vários outros artigos que podem te interessar! Clique aqui e assine nossa newsletter e receba todas as novidades direto na sua caixa de e-mail!

    BUSCAR


    O que você procura?


    ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    INSTITUCIONAL

    REDES SOCIAIS

    TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. PLATAFORMA MEGYS DESENVOLVIDA POR YDEAL TECNOLOGIA