02
Out
2018

Criando uma página no Facebook para uma loja de material de construção

    A sua loja de material de construção está no Facebook? Pois é lá que estão os seus clientes! Se o seu objetivo é 
aumentar as vendas, você precisa criar uma página nessa rede social. Isso tornará o seu negócio mais fácil de ser encontrado na internet e também oferecerá diversas possibilidades de publicação. O Facebook é a maior rede social da atualidade. Contabiliza cerca de 1,7 bilhão de usuários ativos em todo o mundo, sendo que 100 milhões deles são brasileiros. Todo esse potencial de visibilidade está ao alcance da sua loja de materiais de construção. Entretanto, para ter bons resultados nessa rede social, você precisa acertar em alguns pontos bem importantes. Para ajudar você nisso, eles estão destacados a seguir:   Como criar uma página no Facebook para loja de material de construção? O próprio Facebook conta com um tutorial que acompanha você durante todo o processo da criação da sua página. Basta acessar a seção de páginas e clicar no botão para criar a sua. A partir desse ponto, você deve determinar o nome dela e classificá-la no tipo correto. Por que esse passo é importante? Porque ao classificar a página da sua loja de material de construção no Facebook como um estabelecimento, você passa a contar com diversos recursos que as demais não possuem. Um deles é poder inserir o endereço, que aparece ilustrado em um mapa. Há também espaço para telefone de contato, e-mail e site. Lembre-se de implementar a sua identidade visual adequadamente. Isso significa usar seu logo como avatar e aproveitar a capa para uma comunicação mais aprofundada. Os seus posts precisam seguir um padrão próprio, levando em conta o seu público e posicionamento.   Como interligar a sua loja de material de construção com o Facebook? Hoje em dia, as pessoas passam cada vez mais tempo no Facebook. Conversam por meio dele, assistem vídeos, marcam compromissos e até fazem compras. Isso é uma oportunidade ótima para a sua loja de materiais de construção conquistar mais clientes. O Facebook possui o recurso Loja. Ele permite incluir uma aba especial à sua página na qual você insere seus produtos e possibilita ao seu público comprá-los diretamente por lá. Para instalar essa aba, basta acessar as configurações da sua página e adicionar essa guia. Depois, é necessário cadastrar os seus materiais com todas as informações importantes. Para seus clientes, a principal vantagem é que não precisam passar muito tempo preenchendo cadastros. É só clicar e comprar, com velocidade e comodidade. Afinal, o Facebook já possui boa parte dos dados que necessita para enviar o produto.        Ferramentas E para a organização disso tudo, selecionamos algumas ferramentas da internet que irão te ajudar caso não tenha uma agência para te auxiliar na organização e criação desses conteúdos.   Automação de Alertas e Mensagens Mention e Google Alert (alertas no seu e-mail sobre um tema ou palavra-chave) Buffer (agendamento de posts) Edgar (automatização de Social Media)   Monitoramento e Inteligência de Dados SimilarWeb (Páginas semelhantes e analise) DataNyze (Dados de empresas) ClearBit (Dados de empresas) ElTracker (Analise de rastreamento no Analytics)   Conteúdo Canva (criação de imagens para posts e anúncios) Trakto (Criação de materiais de marketing digital, feita no Brasil) Spark (criação de imagens para post e anúncios da Adobe) Easel.ly e Piktochart (criação de infográficos) Bitly (encurtador de links) GoAnimate (criar animações)   ADS - Anúncios AdExpresso (ferramenta de gerenciamento de anúncios e testes A/B no Facebook) RevMob (anúncios em App e Web Mobile, cadastre-se para fazer uma campanha) Automate Ads e AdStage (ferramenta de gerenciamento de anúncios) Moat e WhatRunsWhere (veja o banner do seu concorrente)   Quais são os próximos passos? Agora você já conta com a sua estrutura montada e pode começar a aproveitar os benefícios da visibilidade das redes sociais para a sua loja de material de construção. Publique conteúdo interessante, como dicas de reformas, produtos em destaque e informações valiosas para quem os utiliza. Ao mesmo tempo, implemente campanhas que busquem atrair cada vez mais gente para a sua loja de material de construção. Ofereça cupons de desconto e divulgue promoções. Nenhuma página no Facebook pode ficar parada, então mantenha-a sempre atualizada.   Como aumentar as suas vendas com o Facebook? Já é de conhecimento de todos que usar o Facebook como ferramenta de negócios é uma excelente estratégia para converter as vendas do seu empreendimento. Com essa ferramenta, o consumidor pode se manter atualizado sobre seus produtos e conhecer ainda mais a marca. Agora, vamos dar algumas dicas sobre como aumentar as suas vendas com o Facebook!   Aprenda mais sobre seu público-alvo É muito importante que você conheça o perfil das pessoas que podem ser consideradas consumidoras da sua marca. Isso não diz respeito apenas às informações básicas! Você precisa conhecê-las por completo, pois apenas assim vai conseguir ajudá-las a resolver seus problemas. Além disso, não esqueça de definir também quem é o público que deseja atingir. Fazendo pesquisas, ter acesso a essas informações é muito mais fácil hoje, com a Internet e com as redes sociais. Depois que alguém curte sua página, você consegue obter dados comportamentais e demográficos de cada seguidor.   Invista em comunicação humanizada A aproximação com o cliente é crucial para gerar confiança e, consequentemente, converter e vender pelo Facebook. Promova conversas para que seus fãs discutam abertamente os produtos que você comercializa e ofereça descontos para quem publicar comentários sobre o que compraram. Todo mundo sabe que ouvir opiniões de amigos sobre um produto ou serviço ajuda muito na decisão de compra. Não perca essa oportunidade!   Promova os seus produtos Além de oferecer diversos relatórios estatísticos para que você saiba quem está comprando, quem está comentando, qual o nível de engajamento dos seus clientes etc., o Facebook ainda oferece a possibilidade de fazer propaganda paga. Trata-se do Facebook Ads, ferramenta com a qual você pode criar campanhas altamente segmentadas para os usuários da rede. Ainda é possível escolher o quanto deseja investir com a publicidade conforme o budget disponível e os objetivos da campanha, já que a ferramenta possui diversos formatos de anúncios.   Invista tempo no acompanhamento de métricas Para gerir uma rede social de forma profissional e ainda vender por meio dela, você vai precisar investir boa parte do seu tempo todos os dias. Se essa for uma tarefa impossível, a dica é contratar uma agência que trabalhe com marketing digital para ficar responsável pela demanda. Postar novidades e informações relevantes ao consumidor, manter o estoque atualizado — fisicamente e nas plataformas —, escrever descrições criativas e manter o preço competitivo e atualizado sempre que algo for mudado são pontos básicos a serem feitos. Além disso, com o acompanhamento das métricas, vai ser possível otimizar as campanhas sem despender mais verba do que o previsto. Por isso, contar com profissionais especializados pode parecer um gasto a mais à princípio, mas é definitivamente a melhor forma de poupar dinheiro.   Analise o que seus concorrentes estão fazendo Nunca deixe de acompanhar e investigar todos os passos que seus concorrentes estão dando dentro dos canais online. Assim, você vai ter conhecimento sobre o que funciona ou não funcionou para eles, para que possa aplicar da melhor forma possível à sua marca. Analise quantos e sobre o que são os posts que eles publicam diariamente e quais atingem mais pessoas. Não deixe de ficar de olho também em um ponto bastante importante: o horário de maior interação entre eles e os consumidores.   Quais os indicadores mais adequados para acompanhar? A métrica é uma forma de avaliar ou medir o desempenho da sua empresa na internet — o número de fãs da sua página, por exemplo, é uma métrica. As principais métricas que devem ser acompanhadas para medir o nível de sucesso do seu negócio no Facebook são: 
  • evolução no número de fãs;
  • alcance;
  • envolvimento com a publicação;
  • taxa de envolvimento;
  • engajamento de ação.
  • De nada adianta querer promover sua marca se você não avalia seus resultados. Isso não faz sentido, pois deixa você sem saber para qual caminho está seguindo. Viu só? Criar uma página no Facebook vai ajudá-lo a atrair mais clientes para loja de material de construção, além de reforçar a imagem e a reputação da empresa. Seguindo nossas dicas, essa rede social pode tornar-se um espaço incrível para a conexão entre negócio e consumidor. Quer aprender ainda mais sobre como aumentar as suas vendas? Então, baixe agora mesmo nosso e-book gratuito Lojas Materiais de Construção: O guia definitivo para aumentar suas vendas e garanta o sucesso do seu negócio!     Como o assunto são redes sociais, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e se inscrever no canal no YouTube!
    01
    Ago
    2018

    Confira 8 estratégias de promoção para o mercado varejista!

    Vender é a palavra de ordem em qualquer estabelecimento varejista, não é verdade? Não tem nada melhor para 
    impulsionar as vendas do que utilizar uma boa estratégia de promoção. Elas têm o objetivo de incentivar a compra ao oferecer preços atrativos, criando, assim, um senso de oportunidade e urgência para aquela aquisição. Mas atenção! Enganar os consumidores com falsas promoções não deve fazer parte das estratégias comerciais de um estabelecimento. Aliás, um cliente jamais deve ser ludibriado — o foco precisa ser sua satisfação e entrega de produtos de qualidade. Como fazer isso? Existem técnicas de persuasão que ajudam a convencer o consumidor de que ele está de frente para uma oportunidade de compra imperdível. Entenda como aplicá-las.   1. Preços psicológicos Preços psicológicos são aqueles em que se reduz 1 centavo ou real do valor redondo. Em vez de vender, por exemplo, um produto a R$ 10,00, os preços psicológicos anunciam por R$ 9,99. Essa técnica funciona, pois o cérebro dos consumidores tende a analisar o número da esquerda para descobrir quanto a mercadoria custa. Quando alguém vê algo por R$ 9,99, por alguns segundos, acredita que o valor é 9 reais e não 10. Essa é uma técnica explorada amplamente por equipes de marketing que estudam os comportamentos do consumidor.   2. Ancoragem de preços Sempre que alguém percorre uma prateleira, é natural que compare os preços entre mercadorias de mesma categoria. Se o cliente não é fiel à determinada marca, é bem provável que opte pelo melhor custo-benefício, mas isso é bastante relativo. Um saco de cimento a R$ 20,00 pode parecer caro no primeiro momento, mas se for colocado ao lado de outro de marca superior e que custe R$ 35,00, certamente será escolhido como boa opção de custo-benefício. Essa técnica é muito utilizada em comércios quando se deseja impulsionar a venda de produtos que estejam fora dos períodos de sazonalidade.   3. Valor das parcelas Uma ótima estratégia para atrair o consumidor é anunciando, com mais destaque, o valor das parcelas em vez do preço cheio. Apesar de as pessoas saberem fazer contas, é o subconsciente o primeiro a ser fisgado — ele é atraído sempre por números pequenos. É mais fácil convencer o cliente a levar um produto que custe 10x de 99,90 do que outro que custe R$ 1.000,00, não é mesmo? Embora os preços sejam praticamente iguais, o subconsciente será atraído pelo preço parcelado. Mesmo com juros embutidos nas parcelas, as pessoas ainda se sentem mais confortáveis com esse tipo de anúncio por entenderem que aquele valor cabe dentro de seu orçamento mensal.   4. Contraste visual na estratégia de promoção Um dos segredos da atração é saber trabalhar também o visual merchandising. Vitrines, tamanhos e cores das fontes e disposição de produtos ajudam a transmitir mensagens com mais facilidade. É interessante também utilizar cores como o vermelho para os valores que você deseja passar como “caros” e verde para os “baratos”. Isso ajuda o subconsciente a entender a mensagem.   5. Promoções relâmpago As promoções relâmpagos acontecem, naturalmente, sem aviso prévio, e isso tende a gerar duas sensações importantes no cliente: a primeira é que ele nunca mais poderá ter a oportunidade de comprar o item em promoção pelo preço do dia; e a segunda é que acompanhar regularmente aquele estabelecimento pode lhe proporcionar outras chances de bons negócios. Clientes de uma loja de construção, principalmente aqueles que atuam no setor de maneira profissional, tendem a escolher alguns estabelecimentos para indicar para seus contratantes. Saber que uma loja está constantemente anunciando promoções é uma grande vantagem.   6. Ofertas exclusivas A exclusividade também é outra emoção interessante de ser explorada, pois é capaz de convencer alguns consumidores de que são especiais. Assim, é possível criar ofertas para clientes recorrentes ou de determinada classe profissional. Pequenos empreiteiros, engenheiros de obra e arquitetos podem ser o foco de uma promoção exclusiva, por exemplo. Além de se sentirem especiais, a tendência é que eles retornem ao estabelecimento regularmente para usufruir de tal privilégio.   7. Brindes de compra A intenção dos brindes não é só demonstrar gratidão pela escolha de consumir em sua loja, mas também estimular que o cliente realize sua compra da forma mais lucrativa para o negócio. Assim, se o cliente pretendia gastar R$100,00, mas descobre que, por mais R$50,00, ele ganha um brinde especial, seu senso de ter um ganho maior o leva a comprar mais.   8. Promoções em datas especiais Criar promoções em datas especiais também pode estimular vendas pelo envolvimento sentimental que elas causam. Natal, Dia das Mães, Dia dos Pais e outras datas comerciais, quando bem exploradas na promoção, podem ser impulsionadoras comerciais até mesmo de mercados não diretamente ligados, como o da construção civil. Qual mãe não gostaria de sua casa reformada, por exemplo? Todas essas estratégias de promoção têm em comum o ingrediente emocional. Para eles, os gatilhos mentais são ótimas ferramentas.   O que são gatilhos mentais? O cérebro humano é programado para tomar decisões de duas maneiras: uma calculista e atenta; e a outra, automática e subconsciente. É nesse segundo grupo que a maioria das compras em um estabelecimento acontece e os gatilhos mentais podem interferir. Esse recurso estimula uma série de emoções e sensações, como urgência e exclusividade, já mencionadas nas estratégias acima. Veja alguns exemplos:   "Últimas unidades, garanta já a sua" Esse é o gatilho da escassez ou urgência — caso não compre naquele momento, o item anunciado pode ficar indisponível.   "Esse produto é testado e utilizado pelo arquiteto X" Associar um produto à autoridade e conhecimento de algum profissional ou celebridade também é um gatilho que transmite confiabilidade.   "Garanta seu kit de parafusos mais utilizados no mercado" Esse gatilho é chamado de prova social. Ele foca em fazer com que o cliente queira pertencer a um grupo diferenciado. Nesse caso, a ideia também reforça que seus membros são os melhores ou mais eficientes.   O interessante é que esse gatilho também é transmitido para terceiros. No caso de um pequeno empreiteiro, usar um produto que as melhores construtoras utilizam é uma forma de promover a qualidade de seus serviços.   Quando o consumidor compra algo por um preço que ele considera vantajoso, se envolve emocionalmente, sente menos culpa por gastar seu dinheiro com aquilo — esse é o principal objetivo das técnicas apresentadas neste post. Percebeu como é psicológico? Porém, mais do que atrair com uma estratégia de promoção, é preciso fidelizar. Então que tal conhecer algumas dicas sobre como fazer com que o cliente volte ao seu estabelecimento?  
    27
    Jul
    2018

    Saiba como fazer promoção e gerar lucratividade nas vendas

      Boa parte dos lojistas e empresários acredita saber como fazer promoção de seus produtos, ficando muito orgulhosos e até aliviados quando todos os artigos anunciados com desconto são vendidos rapidamente. Mas será que os valores praticados eram adequados para a saúde financeira da loja? Os produtos recém-lançados ganharam o destaque planejado? Para que uma promoção tenha sucesso, é preciso criá-la com estratégia do início ao fim, afinal de contas, são ações comerciais que visam 
    gerar mais vendas. Pensando nisso, criamos este post com algumas dicas para transformar as promoções de produtos em uma das ferramentas comerciais mais fortes para seu negócio. Acompanhe!   Determine o objetivo da promoção Existem várias razões para que um empresário realize uma promoção de seus itens. Estoque alto de produtos sazonais ou perecíveis, lançamento de novos artigos, atração de clientes ou fomento da fidelização dos mais antigos. Para cada uma delas, a estratégia será definida de maneira distinta. Novos produtos, por exemplo, não podem ser oferecidos com preços reduzidos, mas sim em ofertas associadas com outro item, por exemplo. Itens sazonais para climatização, por exemplo, podem ser ofertados com descontos no final do verão ou no início dos meses com climas mais amenos para girar o estoque.   Produtos mais rentáveis x vendáveis Outra forma de determinar o objetivo e alinhá-lo com a estratégia é classificar os itens como rentáveis — têm uma margem de lucro maior e usualmente são produtos de primeira linha — e vendáveis — percentual de ganho menor, mas que saem em maior volume e frequência. Se a ideia é atrair clientes, promover os itens vendáveis é mais eficiente. Mas colocar os produtos rentáveis em destaque pode ser mais interessante se o objetivo for fidelizar.   Defina regras e saiba como fazer promoção A definição de regras para os clientes usufruírem dos descontos é fundamental. O período de duração da promoção, quantidade máxima de itens por comprador, necessidade de cadastro e até forma de pagamento devem ser divulgadas claramente. Dessa forma, além de oferecer transparência na negociação com seus clientes, o lojista também pode calibrar a estratégia de promoção para aumentar seu caixa, capital de giro, ou aumentar sua base de informações sobre compradores recorrentes.   Garanta ganhos para a loja e seus consumidores Esse é o ponto de equilíbrio em que o desconto oferecido não afeta as contas da empresa, mas torna o preço final do produto atraente para os clientes. Ou seja, todos saem ganhando. Criar promoções que estimulem a aquisição dos produtos vendáveis em maior volume, por exemplo, é uma estratégia que ajuda a loja a renovar seu estoque e, ao mesmo tempo, traz ótima relação de custo-benefício para o comprador. Mas atenção: é preciso conhecer o perfil dos clientes. Em uma loja para reformas, tanto engenheiros responsáveis quanto os proprietários dos imóveis podem ser os compradores. Enquanto uma parte mantém seu foco nas informações técnicas, outra tende a escolher o que é mais vantajoso financeiramente.   Incentive o cross selling As promoções também podem ser utilizadas para incentivar a compra de itens que complementam o uso de determinados produtos. Essa é a estratégia chamada cross selling. Em uma loja de construção, por exemplo, é possível criar combos de kit de parafusos e porcas sextavadas ou, ainda, de vassouras e lixeiras residenciais.   Crie uma estratégia de divulgação eficiente Com todas as regras e objetivos definidos, a próxima etapa é a divulgação das ofertas. E mais uma vez conhecer o público-alvo é determinante para escolher qual abordagem e canais utilizar. A loja deve estar preparada e organizada com as informações necessárias. As redes sociais e publicidade local — como o jornal do bairro — podem ser utilizadas para a divulgação. Resumindo, para saber como fazer promoção é preciso definir seus objetivos, entender as necessidades dos clientes, criar suas regras e divulgar. Tudo isso, é claro, monitorando os resultados e fazendo ajustes para conseguir o máximo de lucratividade possível. Gostou das dicas? Quer ficar por dentro de todas as outras que compartilhamos? Siga nossa página do Facebook e assine nosso canal do Youtube para receber as atualizações.  
    23
    Jul
    2018

    Entenda por que usar rede social no atendimento ao cliente no varejo

      Você saberia dizer qual é a importância das redes sociais para o 
    atendimento ao cliente no varejo? Sabia que elas podem se tornar suas grandes aliadas no que se refere à comunicação com o público? Independentemente das suas respostas, preparamos este artigo para falar justamente sobre isso. Diante da marcante presença dessas mídias no dia a dia das pessoas, nada mais justo do que aproveitá-las como ferramentas de negócio. Tenha em mente que, se há pouco tempo o atendimento presencial, pelo telefone e por e-mail era suficiente, hoje a realidade é outra.  Nesse novo contexto, a utilização das redes sociais é uma obrigação. Por que? Bem, é exatamente isso que abordaremos a seguir, apresentando os motivos pelos quais elas devem ser usadas para o atendimento ao cliente no varejo. Aproveite! Velocidade na comunicação Começaremos, então, pela velocidade na comunicação. Por serem espaços "abertos" e de fácil acesso, as redes sociais permitem a interação com um grande número de pessoas ao mesmo tempo, de forma ágil, interativa e personalizada.  Isso pode acontecer de duas maneiras: pública e privada. Para ilustrar, imagine que você fez uma publicação no Facebook ou no Instagram referente à chegada de um novo produto à loja e que essa novidade despertou o interesse de muitas pessoas, seguidoras ou não. Naturalmente, parte dessas pessoas que se mostraram interessadas pedirá mais informações, fazendo isso nos comentários da própria postagem. Para atendê-las, você pode, portanto: 
  • deixar as respostas logo abaixo das perguntas, ou seja, no campo público, no qual todos poderão visualizá-las;
  • entrar em contato pelo messenger (Facebook) ou direct (Instagram) e responder as solicitações de modo particular.
  • Exercício de criatividade e atração Outra razão pela qual as redes sociais devem ser usadas no atendimento ao cliente no varejo está relacionada com a criatividade e a atração do público. Nesse sentido, entenda que não há nenhum outro tipo de canal que permita uma comunicação tão abrangente quanto. Mais do que apenas atender, é possível acrescentar a esse serviço uma extensa variedade de "narrativas". Enquetes, comparação de produtos, dicas e avaliações de uso, enfim, tudo isso (e muito mais) pode ser utilizado para atrair os compradores. Maior interação com os consumidores  Não menos importante é a interação com os consumidores, que, certamente, será maior. Isso ocorre pelo simples fato de que as redes sociais possibilitam a disseminação de conteúdos, contribuindo, assim, para o engajamento do público com o seu negócio. No entanto, é preciso deixar claro que esse engajamento só será conquistado se você atender as dúvidas e/ou solicitações dos clientes, seja por mensagens diretas, seja respondendo nos comentários: isso deve ser feito o mais rapidamente possível.  Boas dicas para interagir nessas redes incluem:
  • mostrar a rotina da loja;
  • expor o feedback dos clientes;
  • falar sobre a qualidade dos produtos, apresentando suas características;
  • criar enquetes, premiações etc.
  •   Essas ações, como resultado, geram uma maior confiança nos clientes e estimulam a fidelização. Facebook e Instagram são excelentes para esses tipos de conteúdo, principalmente quando são utilizados os recursos dos Stories. Por fim, cabe salientar que, sobre uma visão ampla e geral, a utilização dessas mídias terá um impacto positivo para as suas vendas e, consequentemente, para o crescimento da sua empresa. Portanto, se você ainda não as utiliza, comece agora mesmo! Esperamos que você tenha gostado deste artigo sobre a importância de usar as redes sociais no atendimento ao cliente no varejo. Se sim, deixe seu comentário no campo abaixo!  
    27
    Jun
    2018

    Descubra o poder do marketing boca a boca para o seu negócio

      Provavelmente o marketing boca a boca sempre existiu, mas com a evolução dos negócios, foi deixado de lado por conta de outros formatos mais tradicionais e de larga escala —como 
    cartazes de promoção e propagandas. Mas recentemente ganhou novo destaque, e por qual motivo? Porque para quem está comprando, a opinião de outros clientes voltou a ter muito mais relevância do que uma descrição dos produtos em suas embalagens. Afinal de contas, eles são imparciais e explicam fielmente como foi a experiência de utilizá-los. Mas isso não significa que o empresário não pode controlar seus efeitos. Neste post explicamos as vantagens reais de investir nesse tipo de marketing e as estratégias para conquistar ótimos resultados a partir dele. Confira.   Vantagens do marketing boca a boca O primeiro ponto é como este tipo de marketing pode favorecer uma loja nos dias atuais, onde as relações estão cada vez mais automatizadas e virtuais. Confira os benefícios do seu uso para os negócios.   Gera confiança Um potencial comprador confiará muito mais na opinião de quem utilizou uma abraçadeira rosca em sua obra do que no vendedor que esteja tentando oferecer o produto. Isso porque ele entende que a opinião de quem a adquiriu não tem intenção de obter vantagem ou lucro e está exclusivamente baseada em sua experiência real.   É direcionável Esse tipo de marketing acontece entre dois indivíduos que não são controlados pela loja, ou seja, ela não consegue determinar o que será dito. Porém, se garantir a satisfação, qualidade e o bom atendimento dos seus clientes, as chances de ter boas avaliações e indicações são muito maiores. Além disso, é preciso considerar que alguns clientes têm um ciclo de relacionamento com o mesmo perfil deles. Arquitetos e mestres de obras, por exemplo, fazem compras em lojas de construção regularmente quando estão executando projetos e reformas e têm parceiros e amigos que atuam na mesma área.   Está alinhado com os novos tipos de consumidores O marketing boca a boca acompanhou a evolução das tecnologias e hoje é feito nas redes sociais. Por isso, criar canais de contato e meios para divulgar produtos e se relacionar com os clientes no ambiente virtual é primordial.   Gera autoridade para a loja Ao fortalecer e incentivar esse tipo de marketing, a loja garante que sua imagem — seja on-line ou offline — esteja associada prioritariamente com opiniões positivas. Isso contribui para sua imagem de autoridade no assunto. Uma loja de construção não é especialista apenas em pregos e parafusos, mas fazer com que seus clientes reconheçam que ela tem a melhor qualidade e variedade desses itens permite atrair novos clientes em busca de qualidade.   Tem baixo (ou nenhum) custo Incentivar os clientes satisfeitos a opinar e fazer indicações para outros compradores é muito mais barato que investir em campanhas de marketing e publicidades mais tradicionais. Nas redes sociais, essas opiniões, inclusive, duram mais tempo e podem influenciar mais de um potencial comprador. Em outras palavras, essa divulgação tem efeitos escaláveis e atrai mais clientes sem que grandes investimentos sejam feitos em propagandas e outros recursos para conquistar novas vendas.   Estratégias para incentivar o marketing boca a boca Com tantos benefícios para o negócio, como incentivar de forma eficiente que clientes falem bem e façam indicações? Crie benefícios e recompensas Oferecer benefícios para quem indica os produtos e serviços de um negócio é a maneira mais clara de demonstrar parceria e interesse em que todos ganhem no relacionamento. Trabalhe com públicos específicos Uma loja de produtos para construção, por exemplo, pode ter uma grande procura de arquitetos e engenheiros de obra. Criar ações de marketing direcionadas para públicos específicos pode gerar boas indicações e negócios. Ofereça sempre o melhor atendimento Independentemente de quem seja o cliente, o bom atendimento sempre será um motivo para elogiar e falar bem de um estabelecimento. Portanto, zelar pelo atendimento é essencial. Apesar de ser uma atitude que o cliente precisa tomar, estratégias de marketing boca a boca podem dar os incentivos certos para que eles deem opiniões e façam indicações que aumentem a autoridade do estabelecimento e suas vendas. Você utiliza alguma dessas estratégias no seu negócio? Quais resultados já pôde identificar? Comente sobre sua experiência.  
    28
    Mai
    2018

    Saiba como criar cartazes de promoção em 5 passos e maximizar as vendas e o seu faturamento!

        Como diz um velho e conhecido ditado, “quem não é visto não é lembrado”. Assim, ao desenvolver uma estratégia de 
    marketing para varejo, saber criar cartazes de promoção bem elaborados e que chamem a atenção do público é fundamental. Há séculos, a utilização de cartazes tem sido uma maneira ideal para transmitir mensagens com rapidez e eficácia. Nesse tipo de marketing, o público não precisa de mais de trinta segundos para entender a mensagem e ser influenciado por ela. Mas como elaborar cartaz de promoção que seja realmente eficiente para estimular os consumidores à decisão de compra? Siga os próximos passos e veja como maximizar a conversão de vendas por meio dessa estratégia! Boa leitura! Como utilizar a psicologia das cores na elaboração dos cartazes? De acordo com estudos da psicologia, em nosso cérebro, as cores funcionam como elementos sensoriais que nos deixam mais dispostos a executar ou não uma tarefa. Elas também podem estimular decisões, processos ou algo determinado a algum sentimento. Mediante isso, os estudiosos de marketing desenvolveram técnicas para que as cores possa influenciar a decisão das pessoas e incentivá-las a comprar um determinado produto ao visualizar um anúncio. Conhecer a influência que as cores exercem sobre a nossa mente, portanto, é fundamental para quem precisa desenvolver um cartaz de promoção. Confira! Vermelho A psicologia das cores associa o vermelho à fome e é por isso que essa cor é muito utilizada por marcas de alimentos e em restaurantes. De caráter chamativo, também consegue despertar muito a atenção e destacar informações em letreiros de promoções. Preto Ao longo da História, a cor preta representa o luxo e a sofisticação. Em campanhas de marketing — o que inclui a confecção de cartaz de promoção — o preto pode despertar a curiosidade e ser usado para aumentar o interesse das pessoas em descobrir mais sobre a mensagem.  Desse modo, a sua equipe de marketing precisa saber explorar os aspectos emocionais despertados por essa cor e utilizá-los como estratégias para aumentar a conversão de vendas, captar e fidelizar mais clientes. Azul Quando aplicado na forma clara, dá uma ideia de higiene e limpeza, sendo assim muito utilizado em cartazes e embalagens de artigos de higiene pessoal ou para limpeza de casas. Já quando é aplicado na forma escura, representa confiança e criatividade. Verde Passa a sensação de equilíbrio e harmonia, assim como representa os produtos que defendem questões ambientais. Nos últimos tempos, a cor verde tem sido associada às questões de ecologia e de sustentabilidade. Laranja É muito utilizado em cartazes por gerar nas pessoas ações imediatas e impulsivas. Desse modo, o alaranjado é uma das cores mais indicadas — e que garante um bom retorno — para ser trabalhada em peças de promoção. Quais as melhores técnicas para elaborar um cartaz de promoção? Selecionamos algumas sugestões que contribuem positivamente para que a mensagem dos cartazes alcance os clientes de forma prática e objetiva. Veja quais são: 1. Escolha criteriosamente o local Um dos pontos mais estratégicos para atingir os propósitos dos cartazes promocionais é a escolha adequada dos locais em que serão expostos. Mantê-los à altura dos olhos e em lugares de fácil visualização é um cuidado muito importante.  A escolha das imagens, o tipo de letra e a clareza do conteúdo também são fatores relevantes. O estilo de vida moderno está transformando os hábitos dos consumidores: eles estão cada vez mais exigentes e apressados. Ou seja, os clientes jamais farão esforço para decifrar textos difíceis ou mal elaborados. 2. Defina os preços corretamente. A primeira coisa a ser observada ao criar uma promoção é definir corretamente os preços que serão divulgados. É preciso definir, com base em cálculos, um valor que seja vantajoso para evitar que a promoção resulte em prejuízos para o seu estabelecimento. Ao elaborar o cartaz de divulgação, é importante também destacar em algum local —   pode até ser com letras pequenas no rodapé —, que a promoção é válida apenas até determinado período ou enquanto durar o estoque. Isso evitará situações desagradáveis, já que a não existência dessa ressalva pode resultar em problemas. Mediante o acesso ao cartaz e mesmo após o término da promoção, algum cliente poderá ir até o seu estabelecimento e exigir a compra do produto pelo valor promocional anteriormente anunciado. 3. Utilize softwares de edição Para garantir a qualidade do cartaz de promoção, recomenda-se que ele seja confeccionado de forma mais profissional possível. Em geral, pode ser elaborado por meio de softwares de edição como o CorelDraw e o Adobe Illustrator. Priorizar a qualidade dos materiais a serem expostos em sua loja influencia positivamente a imagem da instituição. São ações que revelam a preocupação em proporcionar um ambiente favorável à melhoria da experiência do usuário. 4. Tenha cuidado com a linguagem Como estratégias de promoção, os cartazes devem comunicar informações como preço, marca, categoria e características do produto. A mensagem do cartaz deve ser simples, clara e especificar corretamente o objetivo da ofertas sendo anunciada. Fazer um prévio planejamento da promoção, além de estimular o consumo, demonstra o  quanto o estabelecimento está preocupado em garantir mais qualidade ao atendimento ao cliente. A publicidade bem-feita facilitará o alcance das metas, até mesmo daquelas mais desafiadoras no comércio varejista. Os cartazes também poderão ser utilizados para divulgar ações sociais e sustentáveis. Atualmente, há maior valorização de práticas como a de reciclagem seletiva, envolvimento em campanhas solidárias. Procure se envolver com ações dessa natureza e agregue valor à sua marca. 5. Crie o sentimento de necessidade O objetivo das promoções e o público-alvo a ser alcançado são fatores essenciais para direcionar a propaganda. Tendo isso em vista, nas lojas para as classes D e E, há a necessidade de utilizar uma linguagem específica e mais simples. Além disso, a oferta precisa criar o sentimento de necessidade e a percepção de oportunidade. A sua equipe pode, por exemplo, explorar as palavras que remetem a ideia de oportunidade: “preço”, “chance” “imperdível”, “oportunidade” e “valor promocional” são as mais adequadas.  Quando o foco for em um público com um poder aquisitivo mais elevado use e abuse de termos que apelam para a exclusividade. Palavras como “lançamento”, “inovação”, “marcas Premium”, “gourmet”, “top” e “delicatessen” são as mais indicadas. Nesse sentido, ao elaborar cartaz de promoção, alguns cuidados e fatores merecem consideração. Para garantir a eficiência desse tipo de marketing, adote os critérios que podem influenciar a decisão de compra do consumidor final e potencializar os processos de conversão de vendas. Gostou de saber mais sobre como criar um cartaz de promoção? Então, que tal compartilhar este artigo em suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a essas informações?    
    24
    Mai
    2018

    Conheça técnicas de persuasão para garantir o "sim" do cliente

      Investir em conhecimento para utilizar as técnicas de persuasão é fundamental para se tornar mais competitivo e aumentar as vendas. Para garantir o sucesso do empreendimento, é preciso saber como persuadir um cliente por meio de ações que tenham boa aplicabilidade prática. Diante de uma concorrência cada vez mais acirrada, os gestores do comércio varejista precisam buscar um diferencial que assegure a continuidade dos negócios. Nesse sentido, conheça algumas formas de aprimorar as habilidades necessárias ao processo persuasivo e que são essenciais para superar os desafios comuns do varejo. Boa leitura!   Treinamento da equipe A persuasão é uma arte que exige recursos de lógica e de programação neurolinguística para convencer uma pessoa. No entanto, a arte da persuasão exige habilidades técnicas para perceber o interesse do cliente e direcionar o diálogo para o rumo certo. Isso significa que é preciso existir uma interação de acordo com os próprios objetivos do vendedor, mas que tenha um foco na necessidade do cliente. Assim, é preciso investir em treinamento da equipe de vendas e deixá-la preparada para exercer o seu papel de motivadora dos processos de compra. Para se tornar mais persuasivo e atingir as metas de vendas, é necessário bastante habilidade e controle emocional.     Dicas de especialistas Em seu livro “Influência: A psicologia da persuasão”, o renomado professor de psicologia social da Universidade do Estado de Arizona (EUA), Robert Cialdini, destaca as técnicas necessárias para desenvolver as habilidades de comunicação. Essas virtudes são consideradas o método ideal para exercer influência sobre as decisões das pessoas durante os momentos importantes. Nesse sentido, o professor pontuou alguns princípios que devem ser considerados pelo vendedor na hora de convencer o cliente a comprar um produto. Em seus estudos, Cialdini desenvolveu algumas teorias essenciais à arte da comunicação persuasiva, que consistem em aproveitar alguns padrões de conduta para influenciar o comportamento humano. As técnicas de persuasão propostas pelo professor podem ser consideradas como importantes passos para efetivar os processos que envolvem as relações de compra e venda. Confira, agora, alguns dos princípios da influência na ciência da persuasão e veja como podem ser aplicados em sua loja.   Reciprocidade É a natural “troca de favores”, mas no âmbito de relações comerciais. O exemplo mais típico de aplicação dessa tática no marketing são as ofertas de produtos como “amostras grátis”. De olho em seu público-alvo, é possível utilizar a reciprocidade para promover produtos, vender mais e melhorar o ticket médio.   Coerência A influência do princípio de coerência se aplica sob a ótica do desejo de ser e parecer uma pessoa de ações, atitudes e comportamentos distintos. Se sua empresa se compromete publicamente com algo — uma promoção ou um sorteio de um brinde, por exemplo — é necessário cumprir à risca esse compromisso para proteger a imagem de sua instituição.   Simpatia e Gostabilidade Compartilhar algo similar com as pessoas que se gosta pode parecer algo superficial, mas é uma ação de marketing que pode trazer resultados surpreendentes. Algumas empresas utilizam agentes de vendas populares pelo seu comportamento gentil e educado e que já foi percebido com simpatia pelas pessoas de seu convívio. E esse princípio da simpatia e da gostabilidade aproxima as pessoas e atinge um grande êxito em comércios de bairro, principalmente. Isso porque os consumidores preferem comprar de pessoas como eles: sujeitos confiáveis que conhecem e respeitam.    Escassez A metodologia da escassez está relacionada à lei da oferta e da procura e influencia bastante na aplicação do princípio da escassez. Quando o cliente percebe uma baixa oferta ou uma grande procura de um produto ou serviço, ele demonstra bem mais interesse por aquele bem. Isso porque as oportunidades parecem bem mais valiosas, tanto quanto mais difíceis de serem alcançadas.   Técnicas de persuasão  Selecionamos algumas técnicas mais utilizadas para conseguir o “sim” do cliente e potencializar o seu faturamento. Veja quais são.  
  • Perceba o interesse do cliente
  • Ter a capacidade de perceber os gestos, a fala do cliente e o foco em seus interesses é um ponto importante no processo de persuasão. Ouvi-lo atentamente, prestar atenção em seus gestos e até no modo como ele se locomove são atitudes que podem ser utilizadas como sinais para indicar e vender os produtos que ele busca.  
  • Considere os feedbacks
  • Ao ouvir com atenção seu cliente, observe as objeções dele e a forma como relata os motivos para não levar o produto. Esse feedback negativo pode ser transformado em medidas positivas e importantes para melhorar os pontos fracos e corrigir as falhas. Converse e motive a sua equipe para buscar essas valiosas informações durante a interação com os consumidores.  
  • Demonstre confiança e segurança
  • Priorizar a postura adequada, a gentileza e a boa apresentação pessoal influencia bastante a performance durante a utilização das técnicas de persuasão na hora da venda. Demonstrar confiança e segurança nos produtos e nos valores defendidos pela empresa também são aspectos necessários nesse processo: são aspectos que inspiram confiança na decisão de compra. Além disso, acreditar na missão da empresa e dar crédito aos seus produtos torna os princípios de persuasão mais eficazes. O cliente percebe quando um colaborador domina o conhecimento sobre algum produto ou serviço. Desse modo, há bem mais possibilidade de convencer e conquistar a confiança do consumidor por meio de argumentos concretos.   
  • Use a criatividade
  • Utilize a criatividade e esquematize o seu processo de persuasão. Use uma argumentação sólida no momento certo de questionar as objeções e convencer o cliente a comprar o produto. Seja honesto, realista e seguro em sua forma de agir e falar. As técnicas de persuasão devem ser um recurso complementar à habilidade da equipe durante a conversão de vendas.  
  • Explore o estado emocional do cliente
  • Identificar os anseios e as dores do seu público e saber um pouco mais sobre suas preferências e características é essencial para estabelecer um vínculo emocional. Sob essas circunstâncias, há maior probabilidade de alcançar o emocional do cliente e influenciar diretamente na decisão dele na hora da compra.   A arte da persuasão pode determinar os resultados das vendas e garantir o alcance das metas mais desafiadoras. Entretanto, o foco no atendimento ao cliente baseado em princípios e valores idôneos e a postura íntegra da equipe são tão importantes quanto a aplicação de técnicas de persuasão. Agora que já conhece as melhores técnicas de persuasão, que tal baixar um e-book gratuito que ensina como aplicá-las para aumentar as vendas em sua loja de material de construção?    
    21
    Mai
    2018

    7 dicas para aumentar as vendas do comércio de bairro

        Quem é dono de um comércio de bairro certamente tem interesse em aumentar as vendas do negócio e diminuir custos que não sejam necessários. É nesse momento que uma grande dúvida surge: como chegar lá? O primeiro pensamento que nos vêm à cabeça é fazer 
    reformas na loja para deixá-la convidativa e atrair mais clientes. Mas isso implica investimentos que, algumas vezes, fogem do orçamento dos pequenos negócios. Por essa razão, fizemos este artigo com 7 dicas para que o seu negócio consiga vender mais no bairro em que ele está localizado. Vamos a elas?   1. Divulgue o quão importante seu negócio é para o bairro Cada vez mais pessoas têm dado atenção não apenas a produtos que solucionem os seus problemas, mas também ao impacto que as empresas têm no meio ambiente e na sociedade. Por essa razão, é importante fazer com que o cliente se sinta parte de algo maior do que apenas a compra feita no seu estabelecimento. Se ele mora no bairro, com certeza se importa com o lugar e ficará contente ao saber que o seu negócio também tem esse zelo. Assim, deixe seu público a par de todas as ações que sua empresa tem feito em prol do bairro. Isso causa um impacto positivo, o que gera mais interesse pela sua loja e, consequentemente, mais vendas.   2. Tenha o ambiente ideal para vender Uma vez que o cliente entra na sua loja, ele se sente confortável e tentado a comprar? Se a resposta for negativa, então é preciso fazer algumas adequações. Para começar, o ponto de venda deve ter um bom acesso. Por exemplo: uma loja de material de construção terá mais movimento se estiver localizada próxima a locais onde ocorrem muitas obras e reformas. Além disso, a organização da loja também deve sugerir o consumo. Para isso, trate de deixar as prateleiras arrumadas e os produtos expostos de maneira a fazer o cliente lembrar de outras necessidades e acabar comprando mais. Em lojas de material de construção, convém colocar os produtos de maior procura ao fundo. Dessa forma, os consumidores têm a chance de ver outros itens pelo caminho.   3. Diversifique as formas de pagamento Para aumentar as vendas do seu comércio de bairro, é imprescindível que os clientes se sintam confortáveis na hora da compra. Para isso, coloque à disposição deles variadas formas de pagamento. Afinal, esse é um meio de convencer as pessoas a comprar, mesmo que a condição atual não seja muito favorável. Os que ainda não receberam o salário podem pagar com cartão de crédito, enquanto aqueles que já usaram muito o limite do cartão podem fazer uso do parcelamento. Quanto mais opções de pagamento o seu estabelecimento tiver, maiores são as chances de o público consumir.   4. Ofereça novos produtos Sua loja oferece exatamente os mesmos produtos que os demais concorrentes? Então, o que faria uma pessoa comprar com você em vez de qualquer outro estabelecimento? A resposta é diversificação! Ofereça ao seu público algo que seja encontrado somente na sua loja. Não precisa ser um produto, mas um serviço que agregue valor ao item comprado. Por exemplo: para complementar a compra de um kit para banheiro, ofereça também rodos e escovas sanitárias.   5. Faça parcerias Um caminho para aumentar as vender é expandir os canais de aquisição de clientes. Quando se trata de um comércio local, unir forças com as demais lojas do bairro é uma estratégia muito válida. Assim, estruture parcerias com outros comércios e aumente as chances de vender mais. Não se restrinja ao seu segmento de atuação, pois indicações podem vir de todos os locais. Por essa razão, deixe cartões de visita e panfletos na maior quantidade possível de lugares próximos, para que as pessoas conheçam os seus serviços. Dessa forma, desde o vendedor do shopping até o garçom de um restaurante que ouve alguém comentar que está buscando por materiais de construção podem lhe indicar um possível novo cliente.   6. Preste um bom atendimento ao cliente O atendimento ao cliente é um diferencial competitivo capaz de trazer mais vendas. Quem não gosta de receber o melhor tratamento quando entra em alguma loja? Todos nós! Por isso, a forma como você e sua equipe atendem o público deve ser impecável. Para isso, construa um envolvimento com o cliente e compreenda as necessidades dele, para explicar de maneira assertiva como o seu produto ou serviço pode atendê-lo. Tenha em conta, também, a comodidade para o consumidor, seja ofertando entrega em domicílio ou oferecendo facilidades para o pagamento. Lembre-se que um cliente fidelizado pode se transformar no seu melhor promotor de vendas, uma vez que possivelmente ele recomendará sua loja para seus amigos, conhecidos e contatos. Porém, caso ele não seja bem atendido, o contrário pode acontecer — o que é um grande risco para a reputação do seu negócio. Por essa razão, deixe sempre os seus colaboradores motivados e produtivos. Todos devem conhecer muito bem os produtos vendidos, para indicar os mais apropriados aos clientes por meio de um bom atendimento.   7. Ofereça vantagens para clientes do bairro Pessoas que residem próximas à sua loja têm mais chances de voltar a comprar com você, certo? Porém, apenas aguardar que elas regressem algum dia é a melhor estratégia? Claro que não. Por isso, oferte vantagens que as estimule a voltar. Um cartão de fidelidade é uma boa forma de fazer isso. Assim, os clientes que realizarem um determinado número de compras podem ser beneficiados com um bônus ou desconto na próxima compra. Outra vantagem que você pode oferecer é a entrega para os clientes que residem próximo sem cobrar uma taxa adicional. Seguindo essas dicas, você vai deixar o seu comércio de bairro em evidência e aumentar as chances de vender mais. Claro que conhecer perfil e comportamento do consumidor, melhores práticas do ponto de venda e investir em marketing também são fundamentais. Para que você possa aprender tudo isso, confira também o nosso e-book Guia Definitivo Para Aumentar Suas Vendas. Boa leitura e até a próxima!    
    18
    Mai
    2018

    Confira 4 técnicas de atendimento ao cliente para o varejo

        As primeiras coisas que vêm à mente quando se pensa na escolha do cliente são o preço e qualidade dos produtos que ele deseja adquirir. Porém, focar somente nessas variáveis pode ser um grande erro para o comércio varejista. A qualidade do 
    atendimento ao cliente é um fator muito importante para todo negócio, pois ele define a escolha do consumidor entre a sua loja e a concorrência. Em um ambiente concorrido como o comércio varejista, um bom atendimento atrai e fideliza clientes. Veja neste post algumas técnicas de atendimento ao cliente no varejo.   1. Trate bem todos os clientes O primeiro ponto a ser colocado em prática: atenda bem todos os clientes. Nunca deixe que suas ideologias — ou até mesmo preconceitos — atrapalhem seu negócio. Como um bom varejista, você deve considerar todas as pessoas que visitam sua loja como clientes em potencial. E uma coisa é certa: qualquer consumidor gosta de ser bem tratado. Seja receptivo com todos. Dê as boas-vindas e pergunte o nome, assim você deixará as pessoas mais à vontade. E mesmo que alguém não realize nenhuma compra, seja educado também na despedida. Ele pode retornar ao seu estabelecimento no futuro.   2. Entenda as necessidades de seus clientes Ser capaz de entender o que seu cliente precisa também é vital para a concretização do negócio. Para diversos ramos do varejo, o consumidor pode não estar muito familiarizado com aquilo que ele precisa comprar. Por exemplo, nem todos que vão a uma loja de material de construção têm conhecimento específico dos produtos que necessita. O lojista, com o conhecimento técnico dos produtos que comercializa, facilita a vida do cliente ao indicar aquilo que de fato suprirá suas necessidades. É possível, inclusive, indicar produtos complementares. Se um alguém foi comprar cimento, provavelmente também precisará de areia. Assim você poderá aumentar suas vendas!   3. Tenha controle de voz É muito importante controlar o seu tom de voz. Ao falar muito alto, o cliente pode entender que você está sendo ríspido. Isso pode gerar atrito entre vocês, dificultando a concretização do negócio. Por outro lado, um tom de voz mais controlado transmite uma boa impressão ao cliente. Assim, ele fica mais confortável durante a negociação. Se, por algum motivo, o cliente levantar a voz contra você, não revide. Ao contrário, fale pausadamente e em um tom mais baixo. Isso transparecerá calma e ajudará a apaziguar os ânimos.   4. Saiba quando desistir Antes de desistir, é preciso saber ouvir. O cliente possui uma reclamação? Ouça-o. Não o interrompa e nunca discuta com ele. Mesmo que você saiba que ele está enganado, deixe-o falar. Escutando o que ele tem a dizer, você saberá quais medidas tomar. O cliente persiste na reclamação? Talvez seja hora de desistir. Quanto mais a conversa se alongar, maior a chance de isso lhe render uma dor de cabeça no futuro, pois um cliente insatisfeito pode promover negativamente o seu negócio. A melhor saída, nesses casos, é ceder e favorecer o consumidor insatisfeito. Logo, você poderá voltar sua atenção aos demais clientes de seu estabelecimento. Além disso, essas situações servirão de aprendizado e você poderá investir na melhoria dos pontos que geraram a reclamação. Gostou dessas técnicas de atendimento ao cliente? Fique à vontade para compartilhar este artigo em suas redes sociais!  
    26
    Mar
    2018

    Descubra se o merchandising influencia no ponto de venda

        Empresas e marcas estão sempre em competição no mercado com intuito de aumentar sua presença, número de vendas e lucros. Afinal de contas, quem está presente no mercado e não quer vender mais? No entanto, para que o sucesso aconteça, várias estratégias são promovidas para que seus produtos e serviços sejam mais reconhecidos. Aí que entra o merchandising no ponto de venda. Aqueles que estão ligados diretamente a essas estratégias de apresentação de marcas e produtos sabem muito bem que, para que o número de 
    vendas de um produto aumente, não basta somente entregá-lo ao cliente, mas ter todo um processo planejado e executado com foco no consumidor. Logo, para promover e conseguir o sucesso dessa exposição, o merchandising no ponto de venda acaba sendo necessário. Ainda não conhece bem esse termo? O objetivo do nosso post de hoje é explicar o que é e como funciona o merchandising no ponto de venda! Vamos citar o porquê de sua importância e os principais pontos que devem ser analisados para promover essa prática. Interessado no assunto? Então continue conosco até final!   Afinal, o que é merchandising no ponto de venda?   Primeiramente vamos explicar o conceito do termo “vender”, que é o ato de transferir a propriedade de um item, bem ou produto, para outra pessoa, diante do pagamento de um valor estipulado pelo vendedor. Mas para que essa venda ocorra, é necessário, primeiro, que haja interesse por parte do cliente em comprar. Como despertar ou fazer com que surja o interesse do seu cliente ou do público-alvo dos seus produtos e serviços? Como resposta para essa pergunta, temos o termo merchandising no ponto de venda. A principal estratégia desse conceito é promover artifícios aos usuários para certificar-se de que o seu produto se destaca de maneira positiva em relação ao ambiente de presença, permitindo que o possível comprador veja a marca ou o item e fique interessado em comprá-lo. O ambiente mais sucinto para que ocorra esse tipo de situação são os pontos de vendas, por isso, o merchandising segue sendo um excelente aliado ao marketing de qualquer produto ou marca.   Qual a importância e a relação do merchandising com o ponto de venda?   Ao fornecer ações de merchandising nos pontos de vendas, você está promovendo, aumentando e consolidando a presença da sua marca ou produto naquele local, assim, o cliente sempre se lembrará da qualidade do seu item. Sendo assim, o crescimento do investimento em comunicação visual é inevitável. O impacto visual do produto ou da marca para o merchandising permite que a atenção seja conquistada e mantida. Criatividade é um ponto crucial a ser usado para a promoção dessas ações nos pontos de vendas. Assim, indicar sua preocupação com a reciclagem, com a natureza, com o bem-estar das pessoas, com os benefícios gerados pela sua marca, e observar novas técnicas e possibilidades para que a comunicação visual com o seu cliente seja a melhor possível são ações que devem ser sempre consideradas. Para que haja sucesso ao promover essa prática no ponto de venda, é necessário destacar algumas boas medidas. Confira!   Conheça bem seu público-alvo Conhecer seu público-alvo é muito importante para que você possa entender bem quais são suas reais necessidades e quais são as medidas que você poderá tomar para conseguir atraí-las com maior eficiência.   Crie um plano estratégico Ter um trajeto traçado para mostrar ao seu cliente o diferencial do seu produto ou serviço pode facilitar a tomada de decisão. Sendo assim, ter um bom plano estratégico para facilitar essa ação é essencial.   Deixe claro os objetivos da sua ação Seu público-alvo não vai simplesmente adivinhar qual o objetivo, caso ele esteja implícito no merchandising no ponto de venda do seu produto ou marca. Procure mostrar quais são os motivos e os benefícios de adquirir sua marca claramente.   O que achou do nosso post? Entendeu tudo sobre o merchandising? Se quiser se aprofundar um pouco mais sobre o assunto, baixe nosso e-book. Nele damos diversas dicas para organizar melhor sua loja e assim vender mais!  
    31
    Jan
    2018

    Bricolagem: como elevar as vendas na loja de material de construção

        Você sabe o que é bricolagem? Esse termo diz respeito à criação de produtos sem a atuação de um profissional. Aquelas pequenas reformas, pinturas ou reaproveitamento de móveis antigos são exemplos de bricolagem. As lojas de material de construção também podem ajudar seus 
    clientes a compreenderem mais desse assunto. Todos esses processos compõem o chamado do it yourself, ou "faça você mesmo". Você pode usar o seu talento para desenvolver peças incríveis, além de economizar uma boa grana com serviços de terceiros. Quer entender quais são os benefícios da bricolagem? Continue a leitura até o final para descobrir tudo isso e um pouco mais. Confira agora!    Baixo custo  É bem mais barato desenvolver um produto reaproveitando peças e utensílios antigos. Além disso, um dos fatores que mais causam gastos é a mão de obra. Na bricolagem, é possível ter uma redução significativa desses custos, afinal, quem vai realizar grande parte do trabalho é você mesmo.  É importante que você faça orçamentos em várias lojas antes de definir qual o produto que vai ser adquirido para desenvolver o trabalho. Assim, é possível maximizar os benefícios da bricolagem, diminuindo os gastos. Em momentos de crise, como o atual, é preciso que as pessoas se reinventem e saibam realizar um bom planejamento financeiro. Pense nisso!   Personalização de produtos  Sabe aquele objeto que está jogado em um canto da sua casa? Ele pode ter uma cara nova e ainda ter uma nova utilidade. Para isso, você pode personalizá-lo da maneira que achar melhor. Invista em uma nova pintura, coloque adereços e dê uma nova utilidade a ele.  Assim, aquilo que, antes, era apenas um objeto pouco utilizado e descartado pode se tornar uma peça bonita, elegante e funcional. Personalizar é tornar algo customizado, muitas vezes, com as características de que o dono gosta. Não deixe de reinventar objetos que estejam na sua residência. A bricolagem é uma forma de dar uma vida nova a produtos antigos.    Reaproveitamento de produtos que seriam descartados  A lógica do menos é mais está em bastante voga, não é mesmo? Por isso, reaproveitar um produto que iria para os lixões é uma maneira inteligente de ajudar na preservação do meio ambiente, além de permitir dar uma nova utilidade a esse objeto.  Na bricolagem, o reaproveitamento é algo muito presente. Quem não quer utilizar algo que seria descartado, dando uma nova funcionalidade a ele? Esse é o desejo de muitas pessoas.    Bricolagem e lojas de material de construção  Muitas empresas realizam programas e projetos de bricolagem para engajar os seus clientes. O desenvolvimento de cursos é uma das alternativas para promover o do it yourself. Assim, os consumidores podem aprender técnicas e detalhes para que consigam realizar pequenos trabalhos sem a ajuda de um profissional.  As lojas Leroy Merlin, por exemplo, ofertam cursos para seus clientes sobre bricolagem. Com isso, também aumentam a venda dos seus produtos. É uma estratégia que você, empreendedor, também deve pensar em adotar no seu comércio.    E aí, conseguiu tirar as suas dúvidas sobre a bricolagem? Não perca tempo para desenvolver projetos semelhantes na sua loja de material de construção.   Na GOMA temos uma linha voltada para a Bricolagem. São pacotes de parafusos, buchas, ganchos, etc, organizadas em pequenas quantidades em um expositor para o cliente na loja de material de construção ache facilmente o que procura.   Confira a linha GOMA BRIC e tenha o que é de mais moderno na organização de parafusos na sua loja.    
    20
    Dez
    2017

    4 principais tendências do mercado de construção civil para 2018

        Quem é proprietário de loja de material de construção deve ficar atento às principais tendências da construção civil. Isso porque, atualmente, as pessoas priorizam tudo o que é
    novidade nesse setor. A internet contribuiu muito para isso, pois o acesso a conteúdos específicos nas áreas de design e decoração ficou muito mais fácil. Além disso, hoje o resultado de aplicações de revestimentos e demais materiais podem ser visualizados em vídeos, o que faz aumentar o nível de exigência do público em geral. Afinal de contas, se um especialista apresenta um tipo novo de piso, azulejo ou tinta de alta qualidade, na hora de comprar as pessoas pedirão por algo no mesmo padrão. Pensando nesse novo arranjo das preferências da clientela, organizamos este post. Aqui você poderá conhecer as 4 principais tendências do mercado de construção civil para 2018. Não deixe de conferir!     Porcelanato que imita ladrilho Devido à beleza e qualidade que confere a pisos e paredes, o porcelanato é quase uma unanimidade entre quem vai reformar ou construir. Porém, muitas vezes, as pessoas buscam por variações que vão além das cores. Com isso, opções como o porcelanato que imita o ladrilho estão em alta. Esse tipo de acabamento pode ser encontrado em vários tipos de desenho e permite a criação de belos mosaicos decorativos. A ideia de quem busca por esse material é abusar das cores. Portanto, não se intimide na hora de renovar o estoque de materiais em sua loja e adquira diferentes opções de porcelanato que imita ladrilho.       Revestimentos de bambu Outra grande tendência do mercado de construção civil são os revestimentos de bambu. Essa é uma opção destinada principalmente para ambientes externos. Uma aplicação muito comum se dá em paredes de quintais e sacadas de apartamentos. Combinado com móveis também com acabamentos em bambu, o resultado é de muito bom gosto: uma composição sóbria e, ao mesmo tempo, muito requintada.       Mistura de acabamentos A mistura de acabamentos é a possibilidade de retirar a neutralidade de alguns ambientes. Nesse sentido, muitos designers costumam dizer que uma parede não pode ser só mais um simples suporte para quadros e sim uma parte de sua casa que pode expressar várias ideias. Imagine, por exemplo, combinações como revestimentos de madeira e papéis de parede com diferentes formas geométricas em um mesmo cômodo. Ou ainda texturas que fazem composições com móveis e carpetes. Existem muitas outras combinações possíveis, por isso não se assuste caso algum cliente peça por materiais muito diferentes para a realização de acabamentos em reformas.       Pisos decorativos No início deste post, destacamos o fato de as pessoas estarem constantemente em busca de novidades. Pois bem, deixamos para o final a maior inovação entre as tendências do mercado de construção civil: os pisos decorativos. A ideia é basicamente a seguinte: pisos à base de resina autonivelantes com desenhos totalmente exclusivos. Esse material pode ser aplicado sobre outros pisos, como granito, mármore e porcelanato, além de ser impermeável e não penetrável por raios UV (não perde a cor). O que mais chama atenção são as possibilidades de criação a partir dessa proposta, pois as imagens, figuras e desenhos a serem aplicados vão da preferência do cliente. Há quem diga que se trata da oportunidade de ter uma obra de arte no piso da própria casa.     Agora você já sabe quais materiais serão os mais procurados em 2018. Prepare os estoques e surpreenda seus clientes! Gostou de conhecer as principais tendências da construção civil? Siga compartilhando este conteúdo em suas redes sociais e acompanhe os nossos novos conteúdos!  
    21
    Nov
    2017

    Passo a passo para começar a vender pela internet

        Abrir uma loja virtual para vender pela internet é uma das melhores estratégias de negócios atualmente. As vantagens são muitas e se comparar com uma loja física, o seu negócio terá maior abrangência territorial, menor investimento necessário, menor custo de manutenção, oportunidade de atrair e fidelizar uma base de clientes maior,
    aumentar o volume de vendas, entre outros benefícios.   Pensando nisso, decidimos montar um passo a passo com as principais etapas que você deve seguir para ter um bom site de vendas. Utilize as dicas como um guia e tenha sucesso com a estratégia.     1. Pesquise como o mercado funciona na internet Se você nunca teve a curiosidade de ver os concorrentes atuando no ambiente online, a hora é agora. As lojas virtuais parecem padronizadas na internet, mas cada segmento é diferente. A necessidade do público e o tipo de mercadorias e serviços vendidos podem influenciar muito na forma como uma loja atua na internet. As diferenças podem parecer sutis, mas significam muito para o sucesso do empreendimento.   Antes de montar um site para vender pela internet, faça uma boa pesquisa sobre como o seu segmento de atuação funciona no mundo online. Assim você pode identificar desafios e oportunidades de melhorias, adotando boas ideias para se diferenciar e se destacar no mercado.     2. Escolha uma plataforma de criação de sites Com uma boa noção do mercado online, é hora de escolher a melhor plataforma de site. Para ter uma e-commerce profissional, você terá que pagar pelos recursos e ferramentas, bem como pelo domínio e hospedagem. Mas acredite, vale a pena. O valor é pequeno se considerar o retorno que o site poderá trazer.   Para escolher uma boa plataforma de criação de sites, pesquise quais oferecem layouts responsivos (que se adéquam às telas pequenas dos celulares e tablets), segurança digital nas páginas de pagamento, ferramentas de carrinho de compra, cálculo de frete automatizado, diversos meios de pagamento, analytics e o que mais for necessário para atender adequadamente o seu negócio e os seus clientes.     3. Crie um design funcional e alinhado Não adianta só ter muitos recursos e ferramentas a disposição. É preciso que eles estejam integrados e funcionem corretamente. Além disso, o site deve ser bem organizado, limpo e agradável aos olhos. Imagens, textos e vídeos precisam ser bem posicionados nas páginas e agregar boa intuitividade aos usuários.     Deste modo, o conjunto da obra irá gerar uma boa experiência aos visitantes do site.         4. Pense na entrega e cobrança de frete A entrega das mercadorias será pelos correios ou por meio de transportadoras? O valor do frete será cobrado do cliente ou será gratuito? Essas perguntas devem ser respondidas antes de montar o site. Tudo dependerá dos custos e do planejamento de marketing e finanças que terá. Por exemplo: frete grátis seria ótimo para o marketing, mas é preciso avaliar a distância e a quantidade que será entregue.   Quantidades grandes podem compensar o frete grátis, pois o desconto que daria pode ser utilizado para cobri-lo. Distâncias mais curtas também podem ter fretes gratuitos, mesmo em quantidades menores, por ser mais barato. Pense em uma boa estratégia para equilibrar rentabilidade com agrados aos clientes.     5. Monte páginas de pagamento seguras Se a plataforma de criação de sites oferecer recursos de segurança digital, não só aplique à página de pagamentos como também deixe bem claro para o cliente que ele está em uma área segura contra golpes e fraudes. Para isso, insira o selo de segurança da empresa que presta o serviço na página. Isso deixará o cliente mais tranquilo e seguro para inserir os dados pessoais e de cartões de crédito, aumentando o número de vendas concretizadas.   O comércio eletrônico ainda está amadurecendo no Brasil e esse pode ser o melhor momento para a sua empresa começar a participar dele. Mas lembre-se: evite decepcionar os clientes e utilize sempre produtos de qualidade superior. Não perca mais tempo, monte ainda hoje a sua loja virtual para vender pela internet e eleve o patamar de negócios da sua empresa.     E você, já vende seus produtos e serviços pela internet? Nos conte pelos comentários! Acompanhe as nossas redes sociais e tenha acesso aos novos conteúdos também.
    16
    Nov
    2017

    Saiba como aumentar as vendas por telefone

        Definitivamente, vender pelo telefone não é uma tarefa simples e exige alguns macetes. Para começar, os operadores de telemarketing não possuem as mesmas interações que os vendedores convencionais. Não há como mostrar o produto ou olhar no olho do consumidor para transmitir sua convicção: tudo é feito na base de uma boa conversa. Acontece que a dificuldade é apenas aparente. O fato é que existem muitas estratégias e ações que podem ajudá-lo a aumentar suas vendas por telefone. São medidas simplórias, mas que podem ser implementadas para melhorar os resultados de cada um dos profissionais da sua equipe. Confira a seguir as dicas que separamos e aplique-as em seu estabelecimento!     Prepare um roteiro A primeira dica é muito simples: prepare um roteiro. Ele não serve para que uma leitura robótica seja feita para o cliente, mas para orientar o vendedor quanto aos assuntos a abordar na hora da ligação.   Na verdade, isso será utilizado para aperfeiçoar as técnicas de vendas. O ideal é que o roteiro apenas sinalize os pontos mais importantes a serem mensurados ao consumidor. Assim, as coisas podem fluir de maneira mais natural e o vendedor não esquecerá de comentar sobre as principais qualidades do produto, seus benefícios, formas de pagamento, etc.       Conte com a tecnologia Conhecer o cliente também é fundamental. O dia a dia de uma loja de material de construção é agitado e nem sempre é possível dar a devida atenção para cada cliente. Por isso, é importante arquivar informações relevantes sobre cada consumidor, como o nome completo, idade, endereço, profissão, etc. A tecnologia também pode ser uma mão na roda! Com sistemas como o CRM (Customer Relationship Management), por exemplo, você consegue armazenar e administrar esses dados que circulam entre os operadores de telemarketing de maneira muito mais eficiente. Há outros programas também que auxiliam no armazenamento das informações dos clientes, basta escolher o que se encaixe melhor à proposta da sua empresa e começar a utilizá-lo para fidelizar os consumidores com o seu estabelecimento.     Utilize técnicas de venda As técnicas de venda são muito bem-vindas para a área de lojas de materiais de construção. Vamos chamar a atenção para duas técnicas que vão aumentar suas vendas por telefone. A primeira delas é conhecida como
    rapport. Apesar do nome em francês, rapport é um conceito muito simples. A ideia é conhecer melhor o cliente, em um ponto em que se compreenda todas as suas necessidades. Assim pode-se desenvolver uma abordagem mais personalizada, que esteja em sintonia com o consumidor e que supra as suas expectativas.   Por outro lado, temos ainda a técnica conhecida como gatilhos mentais. A ideia é estimular os clientes a tomarem determinadas decisões acionando alguns gatilhos inconscientes. O gatinho de segurança, por exemplo, é fundamental para uma venda bem sucedida. Ao demonstrar confiança e segurança no que está oferecendo ao consumidor, o mesmo se sentirá assegurado para efetuar a compra do produto. Outra prática fundamental é a de gatilho mental da razão. Ao recomendar um produto, será mais fácil convencer o comprador se enfatizar o porquê de adquiri-lo. Vale a pena fazer comparações, expor experiências próprias quanto ao item, etc. Desta forma, ao apresentar uma razão, aumenta a chance de obter uma resposta positiva.         Trabalhe com a pirâmide invertida O que é mais fundamental? Fechar uma meta ou garantir a satisfação do cliente? A pergunta é retórica, afinal, todos queremos atingir as duas coisas, mas nos leva a uma reflexão. Repare que, no primeiro caso, temos como prioridade a loja. No segundo, o cliente. Se você toma a segunda parte como foco em suas ações rotineiras, está trabalhando com o conceito de pirâmide invertida. Basicamente, a ideia é de que o cliente deve ser o foco de tudo, assumindo o topo da pirâmide de importância. Em seguida, temos os colaboradores, ou seja, os profissionais de vendas. Por fim, a gestão. Se trabalhar dessa forma, certamente terá bons resultados nas suas vendas por telefone. Além do mais, a fidelização dos clientes contribui com o aumento nas vendas do estabelecimento também, fazendo com que na busca por outros produtos, retornem a sua loja. Desta forma, a sua equipe de vendas estará pronta para suprir as exigências e preferências de cada um dos seus consumidores.   Gostou do nosso post de hoje? Então nos acompanhe no Facebook e fique por dentro de novos conteúdos!
    31
    Out
    2017

    Entenda a importância do marketing para varejo

          Engana-se quem pensa que o investimento em marketing é algo que deve ser feito apenas pelos grandes empresários ou gestores das maiores redes varejistas.  Os donos de pequenas lojas também devem planejar o marketing para varejo, desenvolvendo estratégias e ações que chamem mais pessoas para o seu estabelecimento. Consequentemente, trará mais lucros também. Para que você conheça mais sobre o marketing de varejo, respondemos as principais perguntas que os microempresários têm sobre o assunto. Acompanhe o post e tire as suas dúvidas agora mesmo!     O que é o marketing de varejo? O marketing de varejo se caracteriza por um mix de ações estratégicas que têm objetivos específicos para as lojas. Para desenvolver essas medidas, é preciso que seja feito um estudo detalhado sobre o público e o mercado em que o estabelecimento comercial está inserido. Os objetivos do marketing de varejo além de impulsionar as vendas e promover os produtos comercializados em uma loja, também estão relacionados a ações que visam entender melhor os clientes e ter uma base para tomar decisões antes dos concorrentes, gerando uma vantagem competitiva e consequentemente mais lucros.     Como funciona o marketing de varejo? No marketing tradicional existe uma famosa metodologia chamada de 4 Ps. No setor varejista, dois Ps são adicionados, o que dá origem ao mix chamado de 6 Ps do marketing para varejistas. Explicaremos cada um deles brevemente:     1. Produto É preciso que os produtos escolhidos para venda recebam uma atenção especial dos lojistas. A variedade da linha oferecida, bem como a
    qualidade dos materiais utilizados, são exemplos de preocupações que devem ser fundamentais na hora de selecionar os produtos para o seu estabelecimento.   2. Preços Os preços praticados também estão relacionados ao marketing, como na realização de promoções, por exemplo. Além disso, criar condições especiais de pagamento pode ser um fator que atraia novos clientes. É preciso ter o controle quanto os materiais em grande quantidade no seu estoque também, pois se for viável ao seu negócio, faça uma promoção com um preço diferenciado. A medida ajudará a vendê-los rapidamente.     3. Promoção A promoção está relacionada à publicidade e propaganda. É o setor do marketing varejista que promove o estabelecimento nas mídias tradicionais e também pelas redes sociais, além dos instrumentos de marketing digital.     4. Apresentação O layout da loja, a forma como os produtos são expostos, tudo isso faz parte da apresentação. É preciso desenvolver estratégias como deixar os produtos com maior circulação bem posicionados na loja. Além de encontrar modos de chamar a atenção aos produtos que não estão com as vendas em alta.   5. Pessoal O bom atendimento, assim como a rapidez na solução de problemas, é o que caracteriza o P de pessoal no mix de marketing para lojas. Os varejistas devem sempre garantir um atendimento que preze pelo bem-estar de seus clientes, solucionando os seus problemas e os fidelizando para voltar na loja quando precisarem de outros produtos.   6. Ponto O ponto de venda diz respeito ao local onde a loja está localizada. Recomenda-se sempre que as lojas estejam em locais de grande circulação de pessoas e que tenham acessibilidade, de modo que qualquer pessoa possa entrar no local com facilidade.         Como o marketing para varejistas ajuda a loja a criar autoridade? Desenvolvendo estratégias de marketing, a sua loja será bem-vista pelos clientes e se tornará uma referência no setor. Eles saberão que o local oferece bons produtos, pratica preços corretos, faz propaganda verdadeira e dentro dos padrões éticos, tem uma boa apresentação, tem profissionais dedicados e localiza-se em local de fácil acesso.  Tudo isso fará com que você tenha autoridade, de modo que as pessoas preferirão comprar em sua loja, em vez de em um concorrente.      Agora que você já conhece a importância do marketing para varejo, que tal curtir a nossa página no Facebook e ter acesso aos nossos conteúdos? Assim você receberá mais dicas na sua linha do tempo.
    26
    Out
    2017

    Confira 4 livros sobre vendas que todo vendedor deveria ler

        A leitura sempre foi uma grande aliada dos profissionais de sucesso. Nos dias atuais, em qualquer área, pessoas que têm o hábito de ler demonstram diferenciais. Para os vendedores, em particular, existem livros sobre vendas que são obrigatórios, pois ajudam a
    melhorar a qualidade do trabalho e a conhecer boas práticas que podem ser desenvolvidas e aplicadas no dia a dia. Por isso, listamos neste post, 4 livros sobre vendas que vão ajudar você a se destacar na profissão. Continue a leitura e confira!     1. "Como fazer amigos e influenciar pessoas"   Não podíamos deixar de citar essa obra como uma das primeiras da lista. Escrito por Dale Carnegie, o livro já vendeu mais de 50 milhões de exemplares e ainda é uma das maiores referências para diversos profissionais. O autor traz lições sobre comunicação e relacionamentos interpessoais, pontos fundamentais para aqueles que querem ser bons vendedores. Apesar de não ser uma produção exclusivamente voltada para quem trabalha no setor de vendas, os leitores podem extrair ótimas dicas de como abordar clientes, manter conversas agradáveis e, por consequência, consolidar mais vendas. Mesmo após mais de oito décadas desde seu lançamento, a obra deve ser um dos livros de cabeceira de qualquer profissional que lide diretamente com pessoas. Se você se interessou pelo livro, te ajudamos a encontrá-lo: https://goo.gl/SJ9Mne     2. "O maior vendedor do mundo"   Escrito pelo italiano Og Mandino, "O maior vendedor do mundo" narra a história de um guardador de camelos que vive na época de Jesus Cristo e que se torna um mercador rico por meio de 10 práticas. No decorrer da leitura, você vai conhecer, detalhadamente, as ações que tornaram o protagonista um sucesso de vendas. Você vai aprender mais sobre a importância de bons hábitos, persistência, tempo, emoções, entre outros aspectos na vida de um vendedor e sobre como fazer uso disso para alcançar os seus objetivos e mais sucesso. A ideia é aproveitar as oportunidades e buscar novas ferramentas para otimizar o trabalho. Se você se interessou pelo livro, te ajudamos a encontrá-lo: https://goo.gl/AgFwp4     3. "O vendedor do Futuro"   Esse é outro livro sobre vendas que deve estar na lista de todos os profissionais da área. Voltado para o aspecto de negociação, dentro ou fora do ambiente de trabalho, Renato Gosling, autor da obra, se preocupou em oferecer histórias, reflexões e ideias sobre o novo mundo corporativo. O objetivo é envolver o leitor, mostrando situações vividas por várias pessoas, nem sempre ligadas ao mundo dos negócio, mas que, de alguma forma, propõem uma reflexão sobre o assunto. A obra também aborda aspectos humanos como aspirações, incertezas, medos e paixões, mostrando como isso contribui para a formação de um vendedor profissional. Se você se interessou pelo livro, te ajudamos a encontrá-lo: https://goo.gl/rtQ2Cw     4. "Você pode negociar qualquer coisa"   O autor Herb Cohen está entre os maiores negociadores do mundo e nessa obra mostra práticas para que o leitor possa se tornar um profissional como ele. Esse livro traz algumas dicas para desenvolver habilidades de negociação, o que é essencial para qualquer pessoa interessada em se preparar melhor para convencer os clientes da qualidade de seus produtos. Se você se interessou pelo livro, te ajudamos a encontrá-lo: https://goo.gl/7r5G2c   Gostou das nossas sugestões de livros que todo vendedor deveria ler? Então compartilhe este artigo com seus amigos nas redes sociais, para que eles também fiquem por dentro do assunto!  
    12
    Out
    2017

    5 dicas de fidelização de clientes no varejo

      A competitividade no ramo empresarial está em constante crescimento, e preocupar-se com a satisfação daqueles interessados nos seus produtos é fundamental para poder estabelecer um negócio de sucesso. Os consumidores estão entre os principais pilares para que a sua empresa consiga crescer no mercado, e promover políticas de fidelização de clientes no varejo é um diferencial que aumentará o alcance da sua marca e, consequentemente, garantirá uma vantagem competitiva frente aos seus concorrentes!   Quer saber como conseguir essa fidelização de clientes de forma prática e eficiente? Então confira essas 5 dicas que separamos para você!      1. Ofereça um atendimento personalizado Você já deixou de fazer uma compra por causa de um atendimento ruim ou pela falta de interesse do representante? Atualmente, consumidores buscam por empresas que possam
    oferecer um atendimento personalizado.   A ideia é simples: saber ouvir o cliente e buscar, ao máximo, atender as suas expectativas e necessidades. Desta forma, você poderá dar um caráter mais pessoal ao atendimento e as pessoas sentirão o seu interesse em ajudá-las. No final de uma reunião ou de um atendimento, a chance dos possíveis consumidores se tornarem efetivos clientes se torna muito maior.     2. Invista em programas de pontos e cartões de fidelidade Entre boas políticas de fidelização de clientes no varejo, é importante considerar programas de pontos e cartões de fidelidade: você pode oferecer benefícios para os consumidores que comprarem um número específico de vezes na sua empresa, por exemplo, como um desconto ou um brinde do próprio negócio. Essa é uma das formas de valorizar aqueles que demonstram interesse na sua empresa, incentivando-os a completar os pontos e, consequentemente, investir no relacionamento com o empreendimento. Esta iniciativa pode colaborar com o aumento do fluxo de clientes nas lojas físicas e melhorar o tráfego em lojas virtuais!     3. Foque no marketing Para fidelizar clientes, é importante, primeiro, ter interessados nos produtos da sua marca. O marketing tem papel fundamental e pode trazer benefícios que nenhuma outra estratégia de atração oferece! Saiba anunciar a marca em campanhas publicitárias e invista no relacionamento por meio de redes sociais — conversando com os interessados por meio delas. A ideia é aproximar as pessoas e criar uma boa imagem da sua empresa no mercado. Portanto, tenha uma equipe especializada — ou a consultoria de parceiros — para criar boas ideias, reorganizar os pontos de venda e garantir mais acessibilidade das pessoas à sua empresa. Hoje o marketing empresarial é a peça indispensável para o sucesso do seu negócio, sendo que grande parte dos usuários, e consequentemente, clientes, está inserido nas redes sociais.        4. Busque facilidades para os clientes Burocracia é algo que todo mundo evita e, no ramo de comércio, isso não é diferente. Se o seu interesse é promover práticas para fidelização do cliente no varejo, invista em ações para tornar os processos de negociação e venda mais fáceis e acessíveis. Um bom exemplo disso são os cadastros de pessoas. Imagine quão ruim seria ter que pedir os dados pessoais de uma pessoa toda vez que ela estivesse interessada em efetivar uma compra: os processos burocráticos iriam desestimulá-la a comprar outra vez no seu estabelecimento. A solução, nesse caso, seria ter um sistema de armazenamento de informações, tornando mais fácil esse cadastro — e, ainda, garantindo uma análise de dados que poderá ser utilizada para promover ações de marketing para a empresa!     5. Preocupe-se com o pós-venda Um dos maiores erros dos gestores é acreditar que a venda efetivada desvincula o negócio do cliente! Existem políticas pós-venda que podem ser inseridas dentro da rotina da empresa como: entrar em contato com o comprador, enviar e-mails para se manter informado sobre o índice de satisfação, buscar saber se os produtos superaram as expectativas ou se apresentaram algum problema, entre outros. Essa é uma forma de demonstrar interesse e melhorar o relacionamento com os seus consumidores. Assim, sempre que eles precisarem fazer outras compras, seu negócio será lembrado e priorizado! Desta forma, seus clientes serão fidelizados ao seu negócio.   As 5 dicas ajudaram você a fidelizar clientes no varejo? Pretende aprender mais sobre o tema e fazer sua empresa crescer ainda mais? Então não deixe de assinar nossa newsletter para receber, diretamente no seu e-mail, artigos que podem ser muito úteis!    
    05
    Out
    2017

    Conheça o rapport e como impacta as vendas de balcão

        Saber o que é rapport e como aplicar esta técnica pode ter um impacto bastante
    positivo nas vendas de balcão da sua empresa.   Aplicando o conceito à área de vendas, você poderá observar um melhor desempenho por parte de seus funcionários, e consequentemente, nas vendas também. A técnica de rapport gera uma relação de confiança entre a empresa e o consumidor, tornando-o mais receptivo durante o processo de negociação. Neste artigo falaremos mais sobre o conceito de rapport e como ele pode ser aplicado para otimizar os resultados das vendas de balcão da sua empresa. Acompanhe o post e conheça mais sobre a ferramenta!       O que é rapport? De origem francesa, a palavra rapport pode ser entendida no português como "sintonia" e é usada na psicologia como técnica para gerar uma ligação de empatia  entre as partes envolvidas, facilitando assim a comunicação, a troca de informações e experiências. Baseado na confiança, harmonia e respeito mútuos, o rapport é um processo que ocorre naturalmente, sem "forçar a barra" na hora de efetivar uma venda. A ideia é deixar que a comunicação flua e que todos os envolvidos se sintam à vontade com a situação, gerando o sentimento de compreensão e cooperação entre o consumidor e o vendedor.      Práticas de rapport Uma das principais técnicas de rapport é o espelhamento, que consiste em incorporar  de maneira sutil a linguagem corporal da outra pessoa (como gestos e expressões faciais), a fim de criar uma sintonia inconsciente com ela. Outro meio eficaz de criar a empatia no rapport é a famosa reciprocidade, que permite o compartilhamento de informações e interesses de igual para igual. Deste modo, o consumidor começará a simpatizar com o vendedor, o que auxiliará e muito na hora da venda. Outra característica que faz com que o cliente sinta-se à vontade é ao perceber que realmente está sendo ouvido pelo vendedor, principalmente ao suprir as suas expectativas quanto ao produto.       O impacto do rapport nas vendas de balcão Estabelecer o rapport gera uma relação de confiança e harmonia com o seu cliente. Isso faz com que ele se abra e expresse com maior clareza quais são as suas reais necessidades, sendo a oportunidade perfeita para você oferecer a melhor solução de acordo com cada caso.   Este ambiente de harmonia acaba facilitando o processo de vendas, uma vez que o cliente tende não só a comprar mais facilmente, como estabelece um relacionamento a longo prazo, gerando assim fidelização e retornando à loja para fazer mais compras.   Quando aplicada da maneira correta, o rapport estabelece valores como familiaridade, empatia, compreensão e melhora no aprimoramento pessoal e nas relações interpessoais. Listamos algumas dicas que podem ajudar o vendedor de balcão a estabelecer o rapport. Entre elas podemos citar:     - Chame o cliente pelo próprio nome; - Estabeleça contato visual com o seu cliente; - Seja simpático e solícito; - Sorria durante o atendimento; - Seja otimista e transmita a sensação de confiança e poder ao seu cliente; - Ouça e preste atenção no que o cliente está falando e procurando;   - Seja paciente e demonstre interesse em resolver o problema do cliente e apontá-lo uma solução; - Deixe suas mãos sempre a mostra, pois elas são indicadores inconscientes de confiança.   Estes são alguns fatores que podem ajudar a criar uma relação de cooperação e harmonia entre sua empresa e o cliente. Neste artigo, falamos sobre o que é e quais são os benefícios do rapport, assim como sua aplicação nas vendas de balcão. Aproveite as nossas dicas e as utilize em seu negócio!   Curta nossa página do Facebook para receber conteúdos, novidades e notícias do setor para aplicar na sua empresa.    
    28
    Ago
    2017

    Aprenda a utilizar o e-mail como ferramenta de vendas

        São muitas as utilidades do e-mail! E quando utilizado para propósitos de
    marketing e vendas, existe o potencial para atingir uma ampla quantidade de consumidores e clientes de forma rápida e prática. O e-mail é uma forma de comunicação utilizada diariamente por bilhões de pessoas no mundo inteiro. Independente do segmento de atuação da sua empresa, a maior parte do seu público usa esse meio de contato todos os dias.    E por que não oferecer a eles informações, dicas, produtos e promoções referentes a seu empreendimento por e-mail? Acompanhe o post de hoje e aprenda mais sobre o assunto!      As diferentes utilidades do e-mail Em termos gerais, o e-mail é uma ferramenta de interação entre uma ou mais pessoas e instituições. Para os negócios, o e-mail pode ser utilizado para interagir com os clientes, antes e depois das vendas. Por isso, tanto o marketing quanto a área de vendas podem se aproveitar dessa ferramenta para alcançar resultados. O e-mail marketing, por exemplo, é uma excelente solução para ofertar seus produtos e serviços, entregar conteúdos ricos para potenciais clientes e interagir com eles de diferentes formas. Tudo isso a um custo muito menor do que uma propagada em mídias tradicionais, por exemplo.   Para a área de vendas, o e-mail pode dar um aspecto mais pessoal para a interação, permitindo que tenha-se contato com um consultor, aumentando a confiança na empresa. Ferramentas de automação também permitem um alto nível de interação pré-programada, deixando que os profissionais de sua empresa foquem a atenção nos momentos de fechamento da venda.     Por quê algumas pessoas dizem que o e-mail não funciona? Se o e-mail funciona ou não para sua empresa como uma ferramenta de vendas ou marketing, depende muito de como está sendo utilizado. Comprar listas de e-mail, enviar emails para pessoas que não autorizaram, emails genéricos e não segmentar os seus contatos são estratégias que inevitavelmente atrapalham o desempenho em vendas dos e-mails. Como ferramenta de vendas, o e-mail tem sua maior efetividade quando fala diretamente sobre as necessidades e dores que o cliente está enfrentando, também pode servir para nutrir o interesse no que você tem para oferecer. O ROI do e-mail pode passar de 100%, mas, para atingir isso, é preciso utilizar com inteligência e consideração pelos leads e clientes.     Dicas para utilizar o e-mail como ferramenta de vendas Um dos maiores desafios é desenvolver e executar uma estratégia consistente, conseguindo engajar seus contatos e transformá-los em clientes. As dicas a seguir podem lhe auxiliar nesse desafio:   ​
  • Segmente a audiência de acordo com os interesses demonstrados, necessidades e estágios no funil de vendas;
  • Mantenha informações sobre aberturas de e-mail, cliques em links. Se possível, dê pontuações aos leads para cada ação que eles tomarem;
  • Seja criativo com os assuntos, eles são o primeiro ponto de contato do e-mail com o cliente;
  • Implemente botões de mídias sociais e compartilhamento em seus e-mails;
  • Tenha diferentes templates ajustados para cada segmentação. 
  •     As utilidades do e-mail são diversas e sua empresa pode aproveitá-las para melhorar as ações de marketing e aumentar as vendas. Se você gostou do artigo, aproveite para curtir nossa página no Facebook e ficar por dentro das novas publicações.        
    25
    Ago
    2017

    Loja física ou loja virtual: prós e contras no mercado de construção

        Sabemos que a competitividade crescente, somada às mudanças de necessidade do
    mercado consumidor são cruciais para a constante evolução dos produtos, bem como a forma de comercializá-los. Hoje, cada vez mais as pessoas estão inseridas na realidade das tecnologias, e chega um momento em que os empreendedores se deparam com a dúvida de apostar em loja física ou loja virtual. Com o setor da construção, a perspectiva é a mesma. Pensando nisso, elaboramos um post sobre os prós e contras de ambos os métodos. Continue a leitura e descubra qual deles se encaixa ao seu empreendimento.     Alcance do público A abrangência do mercado é um ponto importante a ser considerado ao comparar o comércio eletrônico com o físico. A internet rompeu todas as limitações de fronteiras, e se a empresa possui um domínio na web, seus clientes podem acessá-lo de qualquer parte do mundo. Por outro lado, quando se trabalha com a loja concreta, o público que você atenderá fica mais restrito. A tendência é que os compradores sejam da mesma cidade ou de suas redondezas. O que pode ser feito são ações para chamá-los ao estabelecimento, expondo as novidades do ramo ou até mesmo apostando em promoções.      Custo de manutenção Neste quesito, a loja virtual sai à frente com o custo de manutenção bem inferior – menor número de colaboradores, livre de preocupações com a estrutura para atender os clientes; o maior espaço será o dedicado a acomodação das mercadorias. Enquanto no modelo convencional, a gestão operacional exige mais requesitos para atender os clientes. Para colocar o negócio em funcionamento, além do depósito, é preciso de um espaço físico onde ocorrerá a interação com os consumidores, funcionários eficientes e com habilidades para vendas, mostruários, organizações, dentre outros fatores.     Comodidade Neste aspecto, as características positivas estão equilibradas. O que vai pesar no momento da escolha é o conceito de comodidade que cada cliente tem. Se para determinada pessoa sinônimo de conforto implica em efetuar uma compra sem que para isso precise sair de casa, certamente o perfil do e-commerce é mais vantajoso. Ou até mesmo na correria do dia a dia, poder comprar os produtos que necessita pela internet é um diferencial. Assim como quem interpreta ser cômodo sair da loja levando o produto, podendo interagir com os vendedores e conferir os itens disponíveis. Este cliente optará pelo comércio tradicional.  Para o mercado de construção, nem sempre é possível o cliente carregar imediatamente suas compras, pois às vezes depende de transporte especial como caminhões. Mas em tal caso, o tempo de entrega ainda é mais curto que o da internet, favorecendo esse tipo de negócio. Ademais, eventualmente alguns itens desse segmento são difíceis para se explorar os detalhes virtualmente.     Tipo de entrega A particularidade no quesito entrega, compreende o fato de que, via de regra, as empresas virtuais recorrem a um serviço terceirizado, e este procedimento requer maior burocracia, resultando em dilação de prazo. De tal maneira, o risco de extravio ou avarias nos produtos também são superiores. Enquanto na loja física a entrega costuma ser feita em curto prazo, podendo ser negociado o dia/hora com o comprador.     Relacionamento com o cliente O e-commerce pode ter o benefício de estar disponível em tempo integral e pela facilidade de se conectar com o público-alvo independente de onde estejam. Porém, conquistar credibilidade e a confiança dos compradores não é uma tarefa tão simples. Na loja física, o relacionamento com o cliente atinge um status pessoal, eles podem ir tirar suas dúvidas, visualizar os expositores, comparar presencialmente os artigos, além de negociar com os vendedores. E com base em tais atributos sentem-se mais seguros. Atualmente acompanhamos a expansão das ferramentas tecnológicas e, consequentemente, o uso da internet para fazer compras. Contudo, seja loja física ou loja virtual, as duas espécies de empreendimento contêm pontos positivos e negativos. E explorar as melhores funcionalidades de cada universo sujeita-se a criatividade de quem o gerencia. É importante ressaltar que cada vez mais as lojas físicas estão migrando para as virtuais também, atraindo novos consumidores, expondo os seus produtos e conquistando o seu espaço no meio digital.    Gostou deste post? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então assine a nossa newsletter e receba no e-mail conteúdos exclusivos para ajudá-lo a potencializar o seu negócio.   

    BUSCAR


    O que você procura?


    ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    INSTITUCIONAL

    REDES SOCIAIS

    TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. PLATAFORMA MEGYS DESENVOLVIDA POR YDEAL TECNOLOGIA